409 anos

Câmara de São Luís faz homenagem à Cidade pelos 409 anos

Aniversário da capital maranhense é comemorado nesta quarta-feira
Imirante08/09/2021 às 08h10
Câmara de São Luís faz homenagem à Cidade pelos 409 anosLeonardo Mendonça

SÃO LUÍS - São Luís completa 409 anos na próxima quarta-feira, 8. Por este motivo, a Câmara abriu espaço para que os servidores prestem homenagens à aniversariante que possui títulos como “Cidade dos Azulejos”, “Ilha do Amor”, “Capital Brasileira do Reggae” e “Atenas Brasileira”.

Mauro Brandão Junior, psicólogo lotado no setor de Recursos Humanos da Casa Legislativa desde dezembro de 2019 foi um dos servidores que quis deixar registrado, nesta matéria, o sentimento que tem pela cidade natal. “Eu gosto do fluxo, da dinâmica da minha cidade. O cotidiano dela, as manifestações culturais que possui, a peculiaridade que a gente encontra percorrendo cada região da cidade. São Luís também é um local familiar para mim ao qual me sinto pertencente e onde tenho identidade”, afirmou Mauro.

O profissional da área de Psicologia falou ainda sobre os encantos de São Luís e quais aspectos da cidade mais chamam a atenção dele. “Gosto muito de apreciar as manifestações culturais. Acho que temos uma cultura bem representativa e simbólica. Nossa cultura nos permite ter uma identificação e dizermos ‘Essa é minha cidade’. Mas além desses aspectos, vou inserir a gastronomia que é muita boa. Eu aprecio bastante. Só não gosto muito de juçara. Também destaco nossa história que é rica, com suas lendas e contos”, assinalou Brandão.

O psicólogo da Casa destacou a cultura ludovicense como peculiar e teceu comentários sobre ela. “Vejo nossa cultura como espaço de manifestação popular muito presente e que mobiliza tanto quem aqui reside quanto quem vem conhecer. Não digo que seja melhor que a de outros lugares. Não é nesse sentido. É no sentido de identificação mesmo. Ela faz a gente se sentir pertencente e se identificar com algo que faz parte de quem vive aqui e experiencia isso. Dou como exemplo o reggae, bumba meu boi, tambor de mina e os aspectos linguísticos, como nossas expressões regionais que são carregadas de significado e fazem parte do nosso diálogo no dia a dia”, explicou Mauro.

A recém-ingressa no quadro de servidores da Casa, Karolyne Cantanhede, falou do sentimento que tem pela cidade onde nasceu e que tantos atrativos possui. “Tenho por São Luís um sentimento de pertencimento. É um orgulho morar aqui e ter uma cidade belíssima e histórica como cidade natal”, assinalou.

Karolyne, que ingressou na equipe da Câmara no mês passado, também falou do encanto que tem pelo Centro Histórico da Cidade. “A arquitetura e história de São Luís são únicas e muito ricas de detalhes. Eu particularmente sou encantada por andar pelas ruas do Centro, pois há uma atmosfera totalmente diferente nelas. Gosto de frequentar a feirinha São Luís, porque nela consigo vivenciar essa atmosfera”, explicou.

Já Iago Marques Ferreira é analista legislativo lotado no Departamento de Deliberação desde Outubro de 2020. Inicialmente, o servidor falou como é para um

ludovicense também ter moradia na capital maranhense. “Morar em São Luís é um privilégio, pois a beleza da cidade é notória e congrega áreas histórica, moderna e litorânea. Além disso, São Luís é uma cidade de forte acervo cultural, sendo berço de autores clássicos da literatura brasileira sem esquecer do folclore popular”, assinalou.

Iago ainda comentou quais aspectos da Cidade que dão orgulho a ele e destacou o acervo arquitetônico e natural presentes na capital maranhense. “É improvável um ludovicense não se orgulhar da nossa cidade. São Luís do Maranhão tem uma beleza arquitetônica indescritível. Passear pelas ruas do Centro Histórico nos conduz a enxergar fragmentos da nossa história. Já as praias de São Luís nos oferecem lazer ao contemplarmos toda a área litorânea, além da deliciosa culinária”, destacou.

O analista legislativo também falou sobre a relevância da Literatura e da Cultura de São Luís. “E o que dizer da Literatura ludovicense? Temos uma vasta tradição de excelência de autores consagrados no decurso dos séculos como Graça Aranha, Aluísio Azevedo, Josué Montello, Nauro Machado, etc. Basta lembrarmos que muitos historiadores consideram que Sotero dos Reis, ludovicense, foi o autor da primeira gramática brasileira. Vale lembrar que a riqueza cultural de São Luís apresenta singularidades como o Bumba Meu Boi que, inclusive, se tornou Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade”, assinalou Marques.

Júlio César Lima Filho também é analista legislativo, mas está lotado na Comissão de Constituição desde outubro de 2020. Ludovicense, o servidor disse que desde criança gosta de frequentar as praias da Capital e o Centro Histórico.

“Eu sempre gostei, desde criança, de viver na cidade. Gosto das pessoas daqui, do acolhimento delas, do jeito que o ludovicense tratam as pessoas e lidam com elas. Desde pequeno, gosto de ir às praias e também ao Centro Histórico. São locais aos quais meus pais sempre me levavam para passear. Então, eu tenho um carinho especial pela Cidade, sobretudo por esses dois lugares que frequento até hoje”, disse Júlio.

Ele destacou a Literatura e a História da Cidade como os principais orgulhos que ele tem por ser ludovicense. “São Luís tem o título de ‘Atenas Brasileira’ principalmente em razão dos intelectuais que viveram na Cidade. Este é um dos aspectos de São Luís que me chama bastante atenção. Os aspectos históricos e culturais também, pois permitiram a nós sermos Patrimônio da Humanidade. A arquitetura e culinária também são outros atrativos que temos. Mais o maior destaque para mim ficam para a Literatura e a História de São Luís”, reforçou.

Já Larissa Viveiros, técnica em Relações Públicas da Casa desde 2020, falou da identificação que tem com São Luís. “Honestamente, eu gosto muito da minha cidade. Ela tem problemas, claro, mas é uma cidade muito rica. Acredito que ser ludovicense é parte da minha personalidade. A cidade e sua história contribuíram para a forma como eu sou e como eu me enxergo enquanto pessoa e cidadã”, disse.

A servidora ainda comentou que aprecia a Cultura da cidade e tem sentido falta de vivenciá-la por conta da pandemia de Covid-19. “Acho que o que mais me orgulha na Cidade é a nossa cultura. É incrível a quantidade de pessoas fazendo Arte nessa cidade. Temos artistas muito talentosos em todas as áreas e é muito bom acompanhar isso. Acho que é o que eu mais sinto falta em relação a pandemia. Não poder ir a apresentações ou ao teatro é algo que me deixa triste”, contou Larissa.

A técnica em Relações Públicas ainda deixou um pedido de valorização contínua da Cultura por todos como mensagem pelos 409 anos de São Luís. “O que eu peço e desejo é que o movimento crescente de valorização da nossa cultura e da nossa

cidade continue. É muito bom pertencer a São Luís e ações desse tipo, tanto do Governo quanto de instituições privadas, ajudam a propagar um sentimento de pertencimento. Então espero que isso não se perca no tempo e que cada ludovicense se apaixone cada vez mais por São Luís”, disse Larissa.

Campanha – No mês de aniversário de São Luís, a equipe de Comunicação Organizacional da Câmara está desenvolvendo a campanha institucional intitulada“409 anos da nossa história. Este aniversário é de todos nós”.

A campanha foi iniciada no último dia 1º, por meio da parceria entre a Casa e a Equatorial Energia, com a ação “Nossa Cultura, Nosso Orgulho”. O objetivo desta é promover a valorização do servidor do legislativo municipal e difundir a cultura local por meio da distribuição de kits composto por Paper Toys por meio dos quais podem ser trabalhados temas como história e cultura do Maranhão. A ação se repetirá no próximo dia 14 e, desta vez, acontecerá no prédio administrativo da Casa.

Agência Câmara

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.