Energia elétrica

No Maranhão, cerca de 300 mil famílias correm risco de perder Tarifa Social

Programa concede descontos na tarifa de energia elétrica para clientes residenciais de baixa renda e povos tradicionais que podem chegar até 100% do valor total.
Imirante.com, com informações da Sedes11/08/2021 às 14h33
No Maranhão, cerca de 300 mil famílias correm risco de perder Tarifa SocialEm todo o Estado, mais de 950 mil famílias estão cadastradas no programa. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS – No Maranhão, cerca de 300 mil famílias correm o risco de perder o benefício do programa ‘Tarifa Social’ por falta de atualização cadastral no Cadastro Único (CadÚnico). O programa concede descontos na tarifa de energia elétrica para clientes residenciais de baixa renda e povos tradicionais que podem chegar até 100% do valor total.

Leia também:

Projeto estabelece faixa única para beneficiários da Tarifa Social de Energia Elétrica

Com energia elétrica mais cara, veja como reduzir o consumo em até 50%​

Em todo o Estado, mais de 950 mil famílias estão cadastradas no programa. A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (Sedes) é o órgão responsável, no Maranhão, pela política de complementação de renda, por meio do CadÚnico. Com o CadÚnico é feito um monitoramento para identificar o perfil das famílias que não conseguem acessar os seus benefícios ou tiveram perdas. A secretaria realiza, de forma regular, capacitações sobre atualização cadastral e mudanças no Bolsa Família para os gestores e entrevistadores, do CadÚnico e da assistência social.

O secretário da Sedes, deputado Márcio Honaiser, faz um apelo para as 300 mil famílias, que têm direito ao benefício, mas ainda não tiveram acesso ao Programa Tarifa Social, porque estão com o cadastro desatualizado.

“Continuamos na realização da Busca Ativa dessas famílias para garantir a elas aquilo que lhes é de direito. Muitos maranhenses de baixa renda, que têm direito ao Tarifa Social de Energia Elétrica, podem perder este importante benefício, caso não façam a atualização cadastral. Por isso, é importante que essas pessoas procurem o CRAS mais próximo e façam a atualização cadastral”, explicou Honaiser.

Para dar celeridade ao programa, o Governo do Estado, por meio da Sedes, realizou parceria com a Equatorial e a Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem). A união entre os órgãos buscou ferramentas e alternativas para garantir que os benefícios socioassistenciais, que são direito das famílias vulneráveis, cheguem a quem mais precisa.

Uma das ferramentas é o aplicativo Tarifa Social. Dentro do aplicativo, os beneficiários vão achar seções como Consultar Benefício, Credenciamento, Perguntas e Respostas, Notícias, Reclamações, Privacidade e Sedes. O aplicativo está disponível para os sistemas de IOS e Android.

Critérios para ter direito à Tarifa Social de Energia Elétrica:

– Estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – Cadastro Único, com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário-mínimo nacional; OU

– Recebendo o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social – BPC, nos termos dos arts. 20 e 21 da Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993; OU

– Inscrito no Cadastro Único com renda mensal de até três salários-mínimos que tenha residente portador de doença ou deficiência cujo tratamento, procedimento médico ou terapêutico requeira o uso continuado de aparelhos, equipamentos ou instrumentos que, para o seu funcionamento, demandem consumo de energia elétrica; E

– Estar classificado como as classes Residencial ou Rural na subclasse Residencial.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.