Análise

CPI da Covid, no Senado, será ampla e irrestrita

Senadores irão investigar Governo Federal, estados e municípios para apurar as irregularidades na aplicação dos recursos público no período de pandemia do novo coronavírus
Gilberto Léda/ Da editoria de Política14/04/2021 às 16h00
CPI da Covid, no Senado, será ampla e irrestritaPresidente do Senado, Rodrigo Pacheco, definiu que investigações da CPI alcançarão também estados e municípios (Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

São Luís - A decisão do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), de apensar ao requerimento do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) - pela criação da CPI da Covid - outro requerimento de criação de CPI, do senador Eduardo Girão (Podemos-CE), para incluir na investigação governadores e prefeitos foi a mais correta nesse debate.

Um inquérito amplo e irrestrito é o melhor para a República.

Não fazia sentido que, em meio ao caos provocado pela crise sanitária decorrente da pandemia do novo coronavírus, o Senado ainda se deixasse usar como mero joguete político contra a gestão Jair Bolsonaro (sem partido).

O presidente da República - e seu staff mais próximo - tem responsabilidade pelo atual panorama do país?

É claro que sim! E em grande escala.

Mas não se pode negar - e a Polícia Federal vem dando mostras disso desde o ano passado - que alguns gestores estaduais e municipais têm feito muito mal uso das verbas federais encaminhadas pela União para combate à pandemia.

Ao ler o requerimento de criação da comissão parlamentar, o presidente do Senado destacou que juntou os dois requerimentos por tratarem de matéria conexa, e que só seria aproveitada a parte do requerimento de Eduardo Girão referente à fiscalização dos recursos da União repassados aos demais entes federados para as ações de prevenção e combate à pandemia da covid-19.

Ou seja: não serão objeto da CPI as matérias de competência constitucional atribuídas aos estados, Distrito Federal e municípios, como determina o Regimento Interno do Senado Federal.

Assim, faz-se justiça desde o início da apuração dos fatos. E evitam-se nulidades posteriores.

Agora, quem deve que responda.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.