Pedido de Justiça

"Não foi bala perdida… Executaram o meu sobrinho", diz tia de jovem morto por PM

Segundo o comando-geral da PM-MA, o caso da morte de Marcos Matheus Andrade é tratado com muita seriedade e está sendo apurado.
Imirante.com29/01/2020 às 14h38
Marcos Matheus Andrade, de 20 anos, morreu após ser baleado durante uma ação policial no São Cristóvão, em São Luís. / Foto: Divulgação.

SÃO LUÍS – Nesta quarta-feira (29), a tia de Marcos Matheus Andrade, de 20 anos, que morreu após ser baleado durante uma ação policial no São Cristóvão, em São Luís, falou à rádio Mirante AM sobre o caso.

Relembre: Jovem morre após ser baleado por policiais no Jardim São Cristóvão

A senhora, identificada como Alessandra Buna, relatou que o sobrinho não era criminoso e que ele foi vítima de uma injustiça. Ela alega que Marcos Matheus chegou de uma pizzaria e sentou-se em uma calçada, perto da porta de casa, para esperar o horário de buscar a mãe dele.

“Nisso que ele estava lá com os amigos, começou uma perseguição. Tinha uma guarnição da polícia atrás de um carro em que estavam os bandidos, só que o carro dos bandidos acabou capotando e eles correram para a calçada. Só que meu sobrinho correu para o lugar errado, para perto do carro dos bandidos”, conta a tia da vítima.

Alessandra Buna relatou, ainda, que o sobrinho disse ao PM que não era bandido e implorou pela vida, mas acabou sendo alvejado por tiros de fuzil.

“O policial chega, aponta a arma para o meu sobrinho, que levanta as mãos e diz: ‘Eu não sou bandido’. Nisso, ele (o PM) já tinha jogado spray no olho do meu sobrinho e deu o primeiro tiro de fuzil. Meu sobrinho ainda levantou as mãos e disse: ‘Eu não sou bandido’. Aí ele deu o segundo tiro, que acertou o fígado do meu sobrinho e o baço… A própria polícia levou ele para o hospital, mas como ele sofreu atentado de fuzil, acabou perdendo a vida”, disse a tia de Marcos Matheus.

Ainda de acordo com Alessandra Buna, a polícia do Maranhão não é preparada para agir, e a família de Marcos Matheus quer que o policial envolvido no caso perca a farda, pois não foi caso de bala perdida.

“Não tem nada de bala perdida, foi bala achada. Ela achou a barriga do meu sobrinho. Meu sobrinho implorou, dizendo que não era bandido. E mesmo que fosse, a polícia é para proteger, não é para tirar a vida. Ele tem que deixar que a Justiça decida. Meu sobrinho não era bandido, não tinha passagem pela polícia… Eles executaram o meu sobrinho, foi isso que fizeram”, declarou Alessandra.

Ouça a entrevista completa que a tia da vítima deu na rádio Mirante AM.

Na manhã desta quarta (29), parentes e amigos de Marcos Matheus Andrade fizeram um protesto na avenida Guajajaras, no bairro do São Cristóvão, pedindo justiça.

O protesto começou por volta das 10h30. Parentes e amigos de Marcos Matheus bloquearam as duas vias da avenida com cartazes pedindo justiça. / Foto: Divulgação.

Leia: Parentes de jovem baleado por policiais protestam na Av. Guajajaras

Em entrevista à rádio Mirante AM, o coronel Ismael de Souza, comandante-geral da Polícia Militar do Maranhão, afirmou que o caso da morte do jovem Marcos Matheus está sendo tratado com muita seriedade e está sendo apurado.

“Os policias já foram afastados, tirados da atividade operacional e foi aberto o inquérito policial militar para apurar os fatos. Foram recolhidos os armamentos para se fazer a comparação balística e ver o que aconteceu nessa ocorrência. Esse é o papel que a Polícia Militar já adotou”, informou o coronel Ismael.

O comandante-geral da Polícia Militar afirmou, ainda, que só se saberá o que, de fato, aconteceu, após o caso ser devidamente apurado, através da análise das provas, da averiguação dos envolvidos e das testemunhas.

Ouça a entrevista completa que comandante-geral da Polícia Militar do Maranhão deu na rádio Mirante AM.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.