Ajude o Vitor!

Filho de maranhenses, criança de dois anos luta contra o câncer

Após ser diagnosticado com rabdomiossarcoma alveolar, Vitor precisa de ajuda para custear as despesas médicas na cidade de São Paulo.
Priscille Damous / Imirante.com20/04/2019 às 14h44
Filho de maranhenses, criança de dois anos luta contra o câncerCom apenas dois anos de idade, Vitor luta contra o câncer; saiba como ajudar. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Primeiro filho de um jovem casal de maranhenses, o teresinense Vitor, de apenas dois anos, é uma criança extremamente carinhosa e sorridente. Após sentir fortes dores nas pernas, o menino foi diagnosticado com Rabdomiossarcoma Alveolar, um câncer que se desenvolve nos músculos ligados aos ossos e atinge principalmente as crianças.

Acontece que, para dar o melhor tratamento possível ao Vitor, seus pais precisaram se afastar dos seus empregos para buscar auxílio médico em São Paulo e iniciar ao tratamento do menino no Hospital A.C. Camargo, referência nacional na oncologia. Para ajudar a custear as despesas médicas, amigos e familiares decidiram criar uma campanha nas redes sociais, através do site "Vakinha".

Em conversa ao Imirante.com, a maranhense Natália Veloso, mãe do Vitor, nos contou sobre as dificuldades em arcar com o tratamento do filho: "Pedi uma licença no serviço e o patrão do meu marido lhe deu uma licença sem vencimentos. A ideia da "vaquinha" foi de um primo do meu marido, aluguel próximo ao hospital é muito caro, fora as despesas com alimentação e exames que o plano não cobre", contou.

Vitor foi internado no início deste mês, em São Luís. Os exames de imagem apontaram uma possível neoplasia maligna na perna, de crescimento acelerado. O tratamento da criança é longo e envolve sessões de quimioterapia, radioterapia e cirurgias.

"Os médicos nos disseram que o tratamento deve durar, entre seis a nove meses. O tratamento envolve quimioterapia semanal, futuramente cirurgia e radioterapia. Vão ser uma série de medicamentos que duram uns dois dias e nas próximas semanas, ele já terá que tomar um outro medicamento, na outra semana também e daqui há três semanas, ele volta pra mais dois dias de quimioterapia. Vai ser assim o ciclo", disse Natália.

A cirurgia de Vitor irá acontecer após a diminuição do tumor, para evitar que o câncer se alastre para outras partes do corpo. A família desembarcou em São Paulo nessa quinta-feira (18), para começar o tratamento do menino.

Rabdomiossarcoma

Segundo informações do A.C.Camargo Cancer Center, hospital referência no tratamento de câncer no Brasil, os sarcomas se desenvolvem a partir dos tecidos conectivos, como músculos, tecido gorduroso, membranas que revestem as juntas ou vasos sanguíneos.

Sendo assim, o rabdomiossarcoma alveolar é um tipo de câncer, mais comum em crianças e adolescentes, que se desenvolve nos músculos ligados ao ossos e ocorre com mais frequência nos grandes músculos do tórax, braços e pernas.

De acordo com informações médicas, as células do rabdomiossarcoma alveolar se assemelham às de fetos de 10 semanas.

Sinais e sintomas:

O A.C.Camargo Cancer Center aponta diversos sinais e sintomas que podem apontar o rabdomiossarcoma, mas também realça que não existem sintomas comuns a todos os casos, depende do local, onde o tumor aparece.

- Nódulo ou inchaço pode ser o primeiro sinal de rabdomiossarcoma no pescoço, no peito, nas costas, nos braços, nas pernas ou na virilha, inclusive nos testículos, que geralmente aparecem em bebês e costumam ser percebidos pela mãe durante o banho. Eles podem causar dor ou vermelhidão
- Olhos saltados ou aparência de estrabismo, quando o tumor aparece na região dos olhos
- Congestão nasal, sangramentos e secreção com sangue, quando o rabdomiossarcoma se desenvolve no nariz
- Dificuldade para urinar ou sangramento na urina ou fralda, quando se desenvolve na bexiga
- Sangramento na vagina ou aparecimento de formações que se assemelham a pequenos cachos de frutas
- Prisão de ventre, vômito e dor abdominal, quando se desenvolvem no abdome ou na pelve
- Nódulos sob a pele, geralmente no pescoço, no braço ou na virilha, dor nos ossos, tosse, fraqueza ou perda de peso, nos casos mais avançados.

Saiba como ajudar o Vitor:

Após receberem o diagnostico do filho, os pais do menino com a ajuda de familiares, criaram uma campanha nas redes sociais: "Pela Vida do Vitor". Para ajuda-lo, você pode contribuir doando qualquer quantia através do site Vakinha; ou para a conta corrente:

Banco do Brasil

Ag: 3506-8

Conta: 108294-9

Natália B S Veloso

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.