Operação Luz na Infância

Polícia Civil do Maranhão prende duas pessoas durante operação de combate à pedofilia

Força-tarefa nacional é liderada pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública.
Imirante.com17/05/2018 às 11h45
Polícia Civil do Maranhão prende duas pessoas durante operação de combate à pedofiliaOzeias de Sousa Campos, 34 anos, e Gustavo Carvalho Silva Campos, 24 anos. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS – Nesta quinta-feira (17), duas pessoas foram presas pela a Polícia Civil do Maranhão durante a Operação Luz na Infância 2, uma das maiores ações do mundo de combate à pedofilia. Na cidade de Imperatriz, a polícia prendeu Ozeias de Sousa Campos, 34 anos. Já em São Luís, foi preso Gustavo Carvalho Silva Campos, 24 anos. Nas residências de ambos os detidos, a cumpriu também mandados de busca e apreensão.

Segundo o Departamento de crimes Tecnológicos da Superintendência Especial de Investigações Criminais (Seic), em fevereiro e março deste ano o Ministério da Justiça conseguiu capturar uma grande quantidade de dados na internet sobre pedofilia e passou para cada Estado. A Polícia Civil do Maranhão recebeu informações sobre duas pessoas e fez os pedidos de busca e apreensão, os quais foram cumpridos nesta quinta.

Ainda de acordo com o Departamento, cada arquivo apreendido na operação estava na rede de internet alimentando outros bancos de dados, por isso, tirar esses computadores de circulação e prender os suspeitos, mostra que a internet não é um local sem lei.

Ouça, na reportagem de Domingos Ribeiro da rádio Mirante AM, mais detalhes sobre a operação no Maranhão.

Operação Luz na Infância 2 ocorre em outros Estados

Segundo a polícia, durante a operação as equipes procuram arquivos com conteúdos relacionados a crimes de exploração sexual contra crianças e adolescentes. A força-tarefa é coordenada pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública (MESP) e ocorre desde as primeiras horas da manhã, em 24 Estados, além do Distrito Federal. Mais informações serão divulgadas ao longo do dia.

Os alvos foram identificados pela Diretoria de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Dint/Senasp/MESP) e pelo Departamento de Combate ao Crime Tecnológico (DCCT/SEIC-MA), com base em informações coletadas em ambientes virtuais, que apresentavam indícios de crime. As investigações dessa segunda fase da operação estão sendo realizadas há quatro meses, sendo que o material recolhido foi repassado às Delegacias de Proteção À Criança e ao Adolescente, e Repressão a Crimes Informáticos, as quais instauraram inquéritos e solicitaram aos juízes locais a expedição dos mandados.

Na primeira edição da Operação Luz na Infância, realizada em 20 de outubro de 2017, foram cumpridos 157 mandados de busca e apreensão de computadores e arquivos digitais. Durante a apreensão desses materiais nos 24 Estados e DF, foram identificadas e presas 112 pessoas que utilizavam esses equipamentos para produzir, guardar ou compartilhar conteúdos de pedofilia na internet. Essa primeira fase da operação foi resultado de seis meses de levantamentos e investigações coordenados pela Senasp/MESP, em conjunto com as agências de inteligência das Polícias Civis.

Luz na Infância

Segundo o Ministério Extraordinário da Segurança Pública, a operação foi intitulada Luz na Infância por serem bárbaros e obscuros os crimes contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes. Os acusados deste tipo de delito agem nas sombras da internet e devem ter suas condutas elucidadas e julgadas, como a de qualquer criminoso.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.