Enviado à Justiça

Polícia Civil conclui inquérito policial da morte de Davi Bugarin

Laudos apontam veracidade nos depoimentos do tenente-coronel Walber e de Ingrid Raiane.
Imirante.com19/03/2018 às 19h00
Polícia Civil conclui inquérito policial da morte de Davi BugarinDavi Bugarin foi assassinado no dia 15 de fevereiro deste ano, pelo próprio sogro, o tenente-coronel Walber Pestana. (Foto: Arquivo)

SÃO LUÍS - A Polícia Civil do Maranhão concluiu o inquérito policial da morte do músico e empresário Davi Bugarin, o qual foi assassinado no dia 15 de fevereiro deste ano, pelo próprio sogro, o tenente-coronel Walber Pestana.

Saiba mais sobre o caso:

Caso Davi Bugarin: namorada do músico depõe sobre o caso

Coronel acusado de matar genro se apresenta a polícia e é liberado

Durante caminhada por Justiça, amigos de Davi Bugarin afirmam que ele não era violento

Laudos do assassinato do músico Davi Bugarin são divulgados

Caso Davi Bugarin: tenente-coronel responderá por homicídio doloso

Segundo informações do delegado Lúcio Rogério Reis, titular da Superintendência de Homicídios e Proteção a Pessoas (SHPP), o inquérito foi concluído e será remetido à Justiça. O delegado afirma que falta ainda o Icrim enviar o laudo da comparação balística da arma apresentada com os projéteis encontrados na casa e no corpo de Bugarin, mas os laudos das imagens do circuito de segurança, o laudo cadavérico e o corpo de delito de Ingrid Raiane Silva, foram suficientes para embasar as investigações e levar à conclusão do inquérito.

“Os laudos comprovam a dinâmica do crime, comprovando que houve dois disparos na casa, um que atingiu a vítima e outro que atingiu a porta do banheiro. Os peritos concluíram também que houve sim arrombamento em duas portas da casa. O laudo é bem recheado com fotografias e esquemas gráficos e tiram uma série de dúvidas. Nas imagens, a gente consegue ver, mais ou menos, a dinâmica do fato, porque a partir das 18h26, é possível ver a Ingrid saindo de casa meio que corrida, usando o telefone, quando sai um cidadão da casa e a carrega para dentro de casa usando força física. Os laudos batem com o depoimento prestado pelo tenente-coronel Walber e por Ingrid”, explica o delegado.

Ouça a entrevista que o delegado Lúcio Rogério Reis deu na rádio Mirante AM, falando detalhes dos laudos que levaram ao fim do inquérito.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.