Internacional

Aeroporto de São Luís completa 44 anos com promessa de melhorias

O aeroporto da capital maranhense é um dos mais importantes do Nordeste brasileiro.
Divulgação/Infraero07/02/2018 às 16h30
Aeroporto de São Luís completa 44 anos com promessa de melhoriasA expectativa é licitar, ainda na primeira metade do ano, as obras de revitalização do pátio da aviação regular, taxiways e pista de pouso e decolagem. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - O Aeroporto Internacional de São Luís/Marechal Hugo da Cunha Machado completou nessa terça-feira (6) 44 anos sob administração da Infraero. E a promessa é que o terminal receba melhorias em 2018 para aumentar a qualidade do serviço prestado aos passageiros.

Leia também:

Número de vôos cresceu 4,2% em São Luís

Reunião discutirá possível privatização do aeroporto de São Luís

Governo deverá leiloar Aeroporto Hugo da Cunha Machado, de São Luís

Novo terminal de embarque do Aeroporto de São Luís será inaugurado este mês

A expectativa é licitar, ainda na primeira metade do ano, as obras de revitalização do pátio da aviação regular, taxiways e pista de pouso e decolagem. Nos últimos anos, o aeroporto passou por várias melhorias, como a duplicação da área de embarque, a substituição de todas as esteiras de bagagens, balanças e balcões de check-in e a ampliação do terminal de passageiros.

Nesse sentido, segundo o superintendente do aeroporto, Sérgio Kennedy, a Infraero busca aumentar ainda mais a qualidade do serviço, já que existem negociações para que o terminal volte a oferecer voos internacionais regularmente.

"O aeroporto tem recebido voos internacionais charteres e privados, em cumprimento à determinação da Receita Federal do Brasil que o habilita apenas para essas operações. Mas temos trabalhado junto ao estado e ao município para fomentar o incremento de mais voos, expandindo rotas e novos destinos, inclusive internacionais", afirmou Kennedy.

O aeroporto da capital maranhense é um dos mais importantes do Nordeste brasileiro - em 2017, mais de 1,5 milhão de passageiros transitaram pelo terminal, que tem capacidade de receber até 5,9 milhões de pessoas. E os visitantes não são apenas os turistas. Sérgio Kennedy explica que a região também tem vocação empresarial.

"Considerando o complexo portuário integrado pelos terminais de Itaqui, Ponta da Madeira e Alumar, eles são responsáveis por mais de 50% da movimentação de cargas portuárias do Norte e do Nordeste. Nesse contexto, o aeroporto se constitui em importante porta de entrada para o desenvolvimento de toda a região metropolitana", disse.

Operam regularmente no aeroporto três companhias aéreas: Latam, Gol e Azul, que operam regularmente 24 voos diários, cujos principais destinos são Recife, Imperatriz, Guarulhos, Belém, Brasília, Confins, Fortaleza e Rio de Janeiro.

Papel crucial na II Guerra Mundial

A história do aeroporto teve início na década de 1940, quando uma pista de grama, com cerca de mil metros de comprimento, atendia à Base Aérea do Exército Brasileiro, sendo o único meio pelo qual a capital maranhense dispunha para receber voos.

Em 1943, em plena II Guerra Mundial, após vários acordos entre os governos do Brasil e dos Estados Unidos, foi instalada no local uma Base Aérea para servir de apoio ao Exército e à Marinha norte-americana.

A partir de então, com a necessidade de uma infraestrutura para receber todo o aparato bélico, além das modernas aeronaves de combate, foram construídos uma pista de taxiamento e o pátio da aviação geral, com pavimentação asfáltica.

Três anos mais tarde, com o fim da guerra, as instalações foram entregues ao Ministério da Aeronáutica.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.