Protesto por reforma de escola

Populares interditam a cabeceira da ponte Bandeira Tribuzzi

O trânsito está completamente engarrafado em várias avenidas da região.
Imirante.com30/05/2016 às 08h26
O protesto é feito por pais de alunos da escola municipal UEB Pedro Marcosine Bertol no bairro do Jaracati. / Foto: Douglas Pinto/TV Mirante

SÃO LUÍS – No início da manhã desta segunda-feira (30), populares interditaram a cabeceira da ponte Bandeira Tribuzzi, em São Luís.

Ponte Bandeira Tribuzzi. / Foto: Douglas Pinto/TV Mirante

O protesto é feito por pais de alunos da escola municipal UEB Pedro Marcosine Bertol no bairro do Jaracati, que está sem aulas desde o mês de setembro de 2015, quando foi fechada para passar por reformas. Mas, segundo as mães dos alunos, nunca começaram a reforma no local, e as crianças estão com o ano letivo comprometido.

“Disseram que iam começar a reformar a escola, mas ela está abandonada. Nem Visitar eles vêm. Se trata de crianças que, segundo as autoridades, são o futuro do Brasil. Então, tem cuidar delas, tem que dar escola. O lugar das crianças é na escola”, defende Maria Auxiliadora, mãe de um aluno da UEB Pedro Marcosine Bertol.

Mãe de aluno protesta. / Foto: Danilo Quixaba/Mirante AM

Os manifestantes atearam fogo em pneus e outros objetos, para interditar a via. Com o bloqueio, o trânsito está completamente engarrafamento nas avenidas: Carlos Cunha, na altura do Jaracati; Jerônimo de Albuquerque, no Cohafuma; Colares Moreira, no Renascença; Marechal Castelo Branco, no bairro do São Francisco; e na avenida Beira-Mar, região central de São Luís.

O trânsito está completamente engarrafado em várias avenidas da região. Trecho da avenida Ana Jansen. / Foto: Imirante.com

A Polícia Militar já está no local tentando negociar a liberação da via com os manifestantes. Homens do Corpo de Bombeiros, também, acompanham a manifestação.

“Nós estamos discutindo a liberação ainda. Porque eles querem levar 10 pessoas (para falar com a Secretaria Municipal de Educação - Semed) e pra gente liberar a rua, mas não tem condição. Nós queremos é que um representante venha aqui e diga que dia vai começar a reforma da escola e que dia nossos filhos poderão voltar a estudar”, disse uma mãe de aluno.

Em entrevista à rádio Mirante AM, o secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, afirmou que na segunda quinzena de junho terá início o trabalho de recuperação de todas as escolas municipais de São Luís. Dando prioridade às que estão fechadas por falta de manutenção.

“No início da minha gestão falei das dificuldades estruturais de duas escolas: a do Jaracati e do Alberto Pinheiro. Falei que teria que fazer dois projetos estruturais. Eles estão prontos, e na sexta-feira dessa semana eu estarei assinando o contrato de recuperação e todas as escolas da prefeitura de São Luís. É um trabalho que vai começar agora na segunda quinzena de junho e vai até o fim do ano, para recuperar todas. E a prioridade é aquelas que estão, literalmente, fechadas”, afirma Moacir Feitosa.

O secretário da Semed disse, ainda, que está na Secretaria esperando a comissão de pais de alunos para informa-los sobre o trabalho que será realizado nos próximos dias.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.