Desvio de dinheiro

SL: jovem confessa ter desviado R$ 100 mil de casa lotérica

Toda semana, durante um ano, ela desviava de R$ 1 mil a R$ 2 mil.
Imirante.com, com informações da Mirante AM31/01/2014 às 15h55

SÃO LUÍS - Uma jovem, identificada como Cleidimar Matos Diniz, conhecida como “Cleide”, foi conduzida ao 5º DP para ser interrogada sobre o desvio de R$ 100 mil de uma casa lotérica no bairro do Anjo da Guarda.

Segundo a polícia, a ex-funcionária da casa lotérica, que tem 22 anos e é moradora do Anjo da Guarda, confessou que toda semana, durante um ano, desviava de R$ 1 mil a R$ 2 mil. Durante um mês, o desvio chegava a ser de R$ 6 mil.

O dono da casa lotérica, Luís Alfredo Barros Pinto, foi à delegacia e afirmou que há cerca de um ano constatou que havia desvio de dinheiro na casa lotérica. E após averiguar, descobriu que esse dinheiro, que já somava R$ 100 mil, era desviado pela funcionária, que durante um tempo foi operadora de caixa e depois foi até gerente do estabelecimento.

Luís falou ao delegado Walter Wanderley, titular do 5º Distrito Policial (DP), no Anjo da Guarda, que está tendo que vender alguns bens para poder quitar a dívida com a Caixa Econômica Federal e não perder a administração da casa lotérica.

O delegado Walter Wanderley, em entrevista ao programa Abrindo o Verbo da rádio Mirante AM, disse que Cleidiane confessou, espontaneamente, que desviou o dinheiro e alegou que foi um momento de fraqueza.

“Esse dinheiro era desviado de boletos bancários, apostas, pagamentos de contas de água e de luz. Ela fazia o pagamento da conta e depois subtraía, paulatinamente, o dinheiro do pagamento”, explicou o delegado.

Segundo Walter Wanderley, como ela está fora do flagrante, vai ser liberada e aguardar o chamado da Justiça. “O juiz vai julgar de quem é a competência de cuidar do caso, se é a Justiça Federal ou a comum. O interessante é que ela não tem casa própria, mora de aluguel. Durante o interrogatório, afirmou que usava o dinheiro para pagar o aluguel, comprar roupas, calçados e alimentação. Ela afirmou que agia sozinha”, disse o delegado.

Agora a polícia vai investigar se ela tinha ajuda de alguém.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.