Semcas

Ação será realizada para abordar moradores de rua no período de festas

Educadores da Semcas realizarão ação no período de festas.
O Estado10/12/2013 às 08h34

SÃO LUÍS - Com a proximidade do Natal, quando muitas pessoas em situação de rua se concentram em locais estratégicos à espera de doações de roupas e alimentos, educadores da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas) estão se preparando para uma ação que abordará esse público. A estimativa do órgão é de que cerca de 300 pessoas vivam em São Luís em situação de rua. No período do fim de ano, esse número costuma aumentar.

Na manhã de ontem (9), ocorreu uma reunião dos educadores sociais da Semcas, na qual foi discutida a ação que será realizada alguns dias antes do Natal. A abordagem a pessoas em situação de rua acontece rotineiramente e será intensificada para garantir que elas, que estão vulneráveis a qualquer risco, sejam resgatadas dessa situação.

Ação da Semcas/ Foto: Biné Morais/O Estado

Segundo a coordenadora do serviço de abordagem social de rua da Semcas, Marta Andrade, os principais pontos onde essas pessoas se concentram são as rotatórias da Forquilha e do São Francisco e no Monte Castelo.

"Está se aproximando o Natal e muita gente fica embaixo das pontes e viadutos. Estamos fazendo essa reunião para fazer o monitoramento dessa situação. Essas pessoas ainda não chegaram, mas todo mundo sabe que em alguns pontos, como o Monte Castelo, recebem muita gente para angariar recursos natalinos, roupas e cestas básicas", disse Marta Andrade.

A oportunidade de receber doações no período natalino tem atraído para a capital maranhense pessoas de outros municípios e até de outros estados. Mas, segundo a Semcas, muitas das pessoas que se alojam embaixo de pontes e rotatórias são de São Luís. Às vezes, existem casos de famílias que têm residência, mas passam a noite na rua para aproveitar a situação.

"Àqueles que são de outro município ou outro estado, a secretaria faz o recâmbio. Para aqueles que desejam voltar para os seus lares, a secretaria tem um programa voltado para o recâmbio dessas pessoas. Mas, hoje, nós temos muita gente nossa nas ruas também", destacou a coordenadora do serviço de abordagem social de rua da Semcas.

Assistência

Entre o total de pessoas em situação de rua identificadas pela Semcas, existem os mais variados perfis. São crianças e adolescentes que trabalham na rua ou que escolhem viver na rua por terem os laços familiares rompidos, idosos que são aposentados e que, mesmo assim, vão às ruas pedir dinheiro. Mas são os jovens e adultos que são encontrados em maior número nessa situação, principalmente, no Centro.

Ação da Semcas/ Foto: Biné Morais/O Estado

Uma vez identificado um indivíduo em situação de rua, ele pode ser encaminhado para vários órgãos de proteção, dependendo de sua faixa etária. Para crianças e adolescentes, a secretaria atua com o objetivo de refazer os laços familiares, para que eles possam voltar para casa.

Quanto aos adultos, existem dois centros, no São Francisco e na região Cohab-Anil, que são especializados em assistir esse público. Segundo a coordenadora do centro do São Francisco, Keila Cantuário, cerca de 30 pessoas são atendidas no local diariamente. Lá, são feitas atividades com o objetivo de reinserir a pessoa no âmbito familiar.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.