Maranhão

Vacinação contra febre aftosa encerra-se nesta segunda-feira

Divulgação/Sagrima/Aged06/06/2013 às 21h05

SÃO LUÍS - O prazo oficial de vacinação contra a febre aftosa se encerra nesta segunda-feira (10), em todo o Maranhão. Nos 217 municípios do Estado, cerca de 7 milhões de cabeças de bovinos e bubalinos precisam ser imunizados.

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged-MA), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sagrima), anunciou no final do mês passado a prorrogação, por mais 10 dias, do prazo oficial de vacinação do rebanho. A agência solicitou a prorrogação do prazo porque verificou que a quantidade de vacinas encaminhadas para o Estado pela Central de Selagem do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) não seria suficiente para atender a demanda do rebanho maranhense.

Até a última semana de maio, haviam sido comercializadas 6.837.350 de um total de aproximadamente 7,5 milhões de doses de vacinas destinadas ao Maranhão. No entanto, o Estado comercializa o medicamento, também, para os criadores do Tocantins e Pará, que já adquiriram cerca de 2 milhões de doses de vacinas. Com a prorrogação, a Central de Selagem encaminhou mais 1,6 milhão de doses para atender a demanda do Estado.

Com o término da campanha, as vacinas somente poderão ser comercializadas mediante apresentação de autorização emitida pelas Unidades Veterinárias Locais e Escritórios de Atendimento à Comunidade da Aged.

Além de ganhar um prazo de mais 10 dias para vacinar o seu rebanho, o criador maranhense tem, agora, mais tempo para comprovação da imunização do rebanho. Até o próximo dia 17, os escritórios da Aged estarão recebendo os criadores para prestar conta da imunização dos rebanhos. Para isso, o criador precisa comparecer ao escritório, onde sua propriedade está cadastrada e apresentar a nota fiscal de compra da vacina.

Zona livre com vacinação

Esta etapa da campanha de vacinação deve ser a última antes do anúncio do reconhecimento nacional como zona livre de febre aftosa com vacinação nos Estados do Maranhão, Piauí, Pará, Paraíba, Ceará, Alagoas, Rio Grande do Norte e Pernambuco. A expectativa é que ainda neste primeiro semestre o ministro de Agricultura, Antônio Andrade, assine a portaria ministerial que oficializa a nova classificação sanitária.

Até maio de 2014, espera-se que a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) aprove o reconhecimento internacional da região como zona livre de febre aftosa com vacinação, liberando assim os Estados para a livre comercialização da carne com os principais mercados internacionais.

De acordo com dados da Aged, o rebanho maranhense de bovídeos é de 7.480.370 animais, representando o segundo maior rebanho de bovinos do Nordeste e o terceiro de bubalinos do Brasil.

O Maranhão possui 81.747 propriedades rurais que exploram a pecuária bovina e/ou bubalina, com predominância de gado de corte, mas que ao longo dos últimos anos vêm se destacando também pela produção leiteira, produzindo, aproximadamente, 360 milhões de litros de leite por ano.

Para ler mais notícias do Imirante, clique em imirante.com. Também siga o Imirante no Twitter e curta nossa página no Facebook.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.