Política

Dia do Poder Legislativo é marcado por emoção

Três deputados que tiveram seus mandados usurpados na ditadura foram diplomados.
Imirante 18/02/2013 às 18h09
Foto:JR Celedônio/Agência AL

SÃO LUÍS – Uma cerimônia marcada por muita emoção. Assim foi a diplomação, pela Assembleia Legislativa do Maranhão, dos três deputados que tiveram seus mandados usurpados no período da ditadura: Benedito Buzar, Sálvio Dino e Kléber Leite (em memória), que foi representado por Antônio Kennedy. O ato fez parte da celebração de duas datas especiais, nesta segunda-feira (18): o Dia do Poder Legislativo no Estado do Maranhão e o aniversário da Assembleia Legislativa, que completou 178 anos de instalação. A cerimônia foi realizada no Plenário Nagib Haickel, do Palácio Manuel Beckman.

“Trata-se de um momento de reflexão sobre a história política do Maranhão, por meio da ‘devolução dos mandatos’ dos deputados estaduais cassados pela revolução de 1964”, frisou Arnaldo Melo, presidente da Assembleia.

Após o recebimento do diploma, Benedito Buzar, atual presidente da Academia Maranhense de Letras (AML), discursou e fez questão de frisar o equívoco cometido contra a democracia. “Acho importante que os atuais deputados saibam em que contexto essa usurpação foi cometida. Tivemos nossos mandados cassados quando éramos jovens legisladores como muitos que estão hoje aqui, cheios de sonhos e objetivos”, destacou. “Eu proponho que, em outra oportunidade, possa retornar à Assembleia para explicar aos atuais deputados em quais situações esse crime foi cometido. Eu e Sálvio Dino ficaremos muito felizes em fazer isso”, completou.

Sálvio Dino destacou a honra em receber a diplomação das mãos de seu filho Flávio Dino. “Eu estou muito emocionado, principalmente, por receber tal reconhecimento das mãos de filho, Flávio Dino”, disse.

Mais homenagens

Em um segundo momento, a solenidade, também, fez uma homenagem a todos os deputados estaduais integrantes das legislaturas no período republicano, simbolizadas nas pessoas dos ex-presidentes da Assembleia.

“Esta tarde de intensa emoção representa um momento impar. Neste dia 18, no qual comemoramos o aniversário da Assembleia, são pequenas as palavras de agradecimento pelo comparecimento de todos. Pudemos revisitar a historia e percorrer os percalços das trajetórias. Compreender passado será essencial para trabalhar o futuro desta casa”, destacou Arnaldo Melo, em seu discurso de encerramento da cerimônia.

“Os olhos da minha alma estão chorando por poder devolver esses mandados”, completou ao falar da diplomação dos deputados cassados na ditadura.

História

A história do Parlamento estadual maranhense remonta ao ano de 1835, quando foi instalada a Assembleia Legislativa Provincial, que funcionava no consistório da Igreja da Sé, e com ela surgiram os deputados provinciais. Eles eram eleitos em dois turnos. À época, o mandato era de dois anos; as sessões legislativas duravam apenas dois meses.

Somente em 1885 a Assembleia Legislativa passou a funcionar em um imóvel próprio. A sede do Poder passou a ser o edifício situado na Rua do Egito, no Centro Histórico de São Luís, onde a Casa permaneceu por 123 anos, salvo ligeiros hiatos, quando funcionou na Biblioteca Benedito Leite e na Câmara Municipal de São Luís, em razão de reformas arquitetônicas.

A inauguração da moderna sede do poder Legislativo, no Sítio do Rangedor, Cohafuma, ocorreu em 2009. A nova sede continua a se chamar Palácio Manoel Bequimão, mesmo nome que possuía no antigo endereço, no Centro Histórico de São Luís.

Para ler mais notícias do Imirante, clique aqui. Também siga o Imirante no Twitter e curta nossa página no Facebook.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.