Polícia Federal monta barreiras em São Luís e Imperatriz

TV Mirante 04/10/2002 às 12h00

As polícias Federal (PF) e Militar (PM) já estão se preparando para atuar durante as eleições. A intenção é cumprir todo o esquema de segurança para o processo eleitoral de 2002 rigorosamente.

A PF já está fazendo rondas e barreiras, enquanto a PM finaliza os preparativos para atuar no dia 6 e deslocar militares para o interior do estado. Ao todo, serão cerca de 4.500 policiais das duas corporações apoiados por 255 viaturas próprias e 264 carros alugados. Todo esse aparato de segurança deverá ter um custo de R$ 558 mil.

A PM deverá empregar um contingente de 4.380 policiais militares, distribuídos em 10 áreas de atuação no interior e oito na capital. Os policiais contarão com o apoio de 228 viaturas da própria PM e outros 264 veículos a serem alugados, o que deverá custar R$ 498 mil.

Já a Polícia Federal, que é responsável pela apuração dos crimes eleitorais, já está atuando desde segunda-feira. Os policiais federais estão fazendo rondas e barreiras em São Luís e Imperatriz, das 22h às 2h da manhã. Essas operações visam a coerção de crimes eleitorais, como a fixação de material de propaganda no patrimônio público ou o uso de carros de som em horários proibidos.

A PF vai atuar, ao todo, em seis cidades do Maranhão, dividida em duas bases fixas e quatro delegacias móveis. Na capital e em Imperatriz, ficarão as bases fixas e cada uma dessas bases irá funcionar com 45 agentes, 4 delegados, 8 escrivões, 4 peritos e 2 papiloscopistas. Na capital, os agentes seráo distribuídos em 15 viaturas e deverão fazer rondas no dia das eleições.

Nas demais cidades - Bacabau, Pinheiro, Barra do Corda e Caxias, vão ser instaladas delegacias móveis, cada uma delas com equipe formada por um delegado, um escrivão, um perito e nove agentes, que serão apoiados por duas viaturas, A operação da PF deverá custar cerca de R$ 60 mil.

O Comando Geral da PM estava finalizando os detalhes de planejamento e a confecção dos kits com instruções que serão distribuídos aos oficiais que irão comandar os agrupamentos policiais que atuarão na capital e no interior. Os documentos desses kits trarão todas as informações necessárias - como orçamento, efetivo, legislação e rota de deslocamento - para que os oficiais possam desempenhar as suas funções.

Os policiais militares que atuarão durante as eleições irão participar de uma operação que será dividida em três fases. De acordo com o oficial de planejamento de operações da Polícia Militar (PM), Major Carlos Chagas, a primeira fase começa já na distribuição das urnas para os locais de votação. Os policiais se revezarão para manter as urnas seguras.

No dia 6 começa a segunda fase da Operação Eleições. Os policiais irão atuar para garantir a tranquilidade das votações e coibir a boca-de-urna, que está pribida pela Justiça Eleitoral. Assim que terminar a votação, começa a terceira fase da missão. Nesse período, os policiais terão que garantir a ordem para evitar tumultos ou problemas nos locais de apuração.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

Selo IVC
© 2019 - Todos os direitos reservados.