Penhor da Caixa ganha mais atrativo com a alta do ouro

Extra 04/10/2002 às 10h56

RIO - A valorização do ouro no mercado tornou o penhor de jóias uma fonte ainda melhor de empréstimo, se comparado com outras opções. O grama do metal fechou nesta quinta-feira cotado a R$ 37 na Bolsa de Mercadorias & Futuros, e já acumula alta superior a 70% este ano. Já os juros do tradicional “prego” da Caixa Econômica Federal variam de 2,95% a 3,5% ao mês — bem inferiores aos praticados pelos cartões de crédito e bancos, que ficam em torno de 10% mensais.

O consultor financeiro Nelson Campos Júnior explica que o penhor é uma boa opção para quitar dívidas que têm juros maiores. Segundo ele, é uma troca de dívidas, mas com encargos menores.

— Mas não é recomendado para comprar um bem, por exemplo. Aí é melhor esperar o décimo terceiro salário — avalia.

A Caixa concede empréstimos de até 80% do valor de avaliação das jóias. Para empréstimos de até R$ 300, a taxa é de 2,95% ao mês e, para valores entre R$ 301 e R$ 80 mil, 3,5%. Os prazos para resgate variam de 28 a 84 dias, mas os clientes podem renovar o empréstimo. Caso contrário, a jóia vai a leilão.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

Selo IVC
© 2019 - Todos os direitos reservados.