Em Santa Luzia

Policial civil é preso suspeito de concussão, associação criminosa e receptação

Segundo a polícia, um PM reformado e um carcereiro que também fariam parte da organização criminosa estão foragidos.
Imirante.com, com informações da Polícia Civil 24/04/2019 às 15h12
Comissário da Polícia Civil, identificado como Eduardo Daniel Ribeiro

SANTA LUZIA - A Polícia Civil do Maranhão, por meio da Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor), desencadeou na manhã desta quarta-feira (24), nas cidades de Santa Inês, Santa Luzia e Igarapé do Meio, uma operação para cumprimento de mandados de prisão, busca e apreensão, expedidos pela Comarca de Santa Luzia, interior do Estado.

De acordo com informações da polícia, foi preso o comissário da Polícia Civil, identificado como Eduardo Daniel Ribeiro, acusado de fazer parte de uma organização criminosa. Os outros membros do grupo foram identificados como sendo o policial militar reformado José Alves dos Santos e seu irmão, José Raimundo Alves dos Santos, que já exerceu as funções de carcereiro na Delegacia de Santa Luzia. Os dois encontram-se foragidos.

As acusações que pesam sobre o grupo é de concussão, associação criminosa e receptação, segundo a polícia. Na casa do PM reformado José Alves dos Santos foi encontrada uma arma do tipo pistola e duas motocicletas.

Arma de fogo encontrada na casa



Durante a investigação, conduzida pela Seccor, foi constatado que os criminosos exigiam valores de proprietários de motocicletas que haviam sido roubadas para que estes tivessem seus veículos restituídos. O mesmo grupo já havia sido investigado pela Seccor no ano de 2016 pela acusação de exigir dinheiro de receptadores de motocicletas roubadas, para que eles não fossem presos.

Outro caso envolvendo o policial civil Eduardo Daniel Ribeiro:

Eduardo Daniel Ribeiro é acusado de matar um amigo e deixar outro ferido por engano, no bairro Planalto Anil no ano de 2014, segundo informou a polícia.

O policial civil, lotado como Comissário de Polícia no município de Alto Alegre do Maranhão, é acusado de balear João Coelho de Sousa e Márcio Paixão Silvana na noite de 1º de janeiro de 2014, depois do anúncio de um falso assalto.

De acordo com a PM, o policial estava em uma casa na rua F, Planalto Anil, por volta das 23h29, quando as vítimas chegaram em uma moto de capacetes e anunciaram o assalto em tom de brincadeira.

Eduardo Daniel Ribeiro não reconheceu os amigos e reagiu atirando contra os dois. João Coelho de Sousa, de 43 anos, foi atingido com três tiros e morreu no local. Márcio Paixão também foi baleado com dois tiros e foi levado ao Hospital Municipal Clementino Moura, o Socorrão II.

Depois de reconhecer os amigos e a se ver diante de uma tragédia, o policial ficou em estado de choque. Ele se apresentou, espontaneamente, no Plantão do Cohatrac e relatou o caso. Na ocasião, ele foi preso e autuado pelo delegado de plantão por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Ouça a entrevista do Delegado Elieser Lima da Silva, da Seccor, para repórter Alessandra Rodrigues, Rádio Mirante AM:

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.