Investigação

Prazo para concluir inquérito sobre a morte de Hamilton Bandeira deve ser prorrogado

A perícia pretende realizar uma reconstituição simulada.
Imirante.com, com informação da TV Mirante21/07/2021 às 09h13
Prazo para concluir inquérito sobre a morte de Hamilton Bandeira deve ser prorrogadoPerícia deve fazer reconstituição simulada do caso Hamilton. (Foto: Arquivo Pessoal)

PRESIDENTE DUTRA - A Polícia Civil do Maranhão deve pedir a prorrogação do inquérito do caso do jovem Hamilton Bandeira, morto por policiais dentro de casa em Presidente Dutra. O prazo para conclusão do inquérito seria hoje (21). Após a exumação do corpo na semana passada, a perícia pretende realizar uma reconstituição simulada.

A prorrogação do prazo fica a cargo do delegado responsável pelo caso. “Há um certo prejuízo por conta do decurso do tempo, mas em havendo projeteis sendo recuperados não haverá prejuízo no confronto balístico para a identificação da autoria da produção do tiro. Todas as informações serão transformadas em laudo pericial e esse laudo emitido a autoridade que preside o inquérito policial”, relatou o perito geral da perícia oficial do Estado, Miguel Alves.

Leia também:

Corpo de Hamilton Bandeira é exumado a pedido do MP-MA

Moradores de Presidente Dutra pedem justiça no caso Hamilton

SSP-MA não vai afastar policiais após morte do jovem que desejou ''boa sorte'' a Lázaro

Inquérito apura ação de policiais que resultou em morte de jovem com deficiência no MA

Vinte e quatro pessoas já foram ouvidas.“Foram ouvidos os médicos no atendimento inicial, moradores, os policiais que atuaram nesta missão, familiares do Hamilton e os delegados continuam com o procedimento aguardando o resultado dos exames que já foram realizados”, informou o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela.

Hamilton Cesar Bandeira, de 23 anos, que sofria de transtornos mentais, foi morto a tiros por policiais civis no povoado Calumbi, em Presidente Dutra, no dia 18 de junho. Inicialmente, uma nota divulgada pela Polícia Civil do Maranhão afirmava que a equipe havia saído para atender a uma ocorrência de ameaça e apologia ao crime. A nota dizia que “os policiais foram ameaçados pelo suspeito que estava de posse de uma arma branca (faca)”. Depois foi informado que os policiais teriam ido à casa do rapaz para entregar uma intimação.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.