Presidente Dutra

Traficantes são presos com 550 kg de maconha em Presidente Dutra

Droga apreendida pela polícia está avaliada em mais de R$ 2 milhões.
Imirante, com informações da Rádio Mirante AM27/06/2013 às 21h18

SÃO LUÍS - Quarteto foi apresentado na tarde de quinta-feira (27), em entrevista coletiva concedida à imprensa, na sede do órgão na Vila Palmeira, pelo secretário de Estado de Segurança Pública, Aluisio Mendes. Presentes, ainda, a delegada-geral de Polícia Civil, Maria Cristina Resende; o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Franklin Pacheco, o superintendente Estadual de Investigações Criminais, delegado Augusto Barros; o titular do Departamento de Narcóticos, delegado Claudio Mendes e o comandante da 11ª Companhia Independente, major Arlan Silva. Foram presos Manoel Láercio dos Santos Ribeiro, 46 anos; Dilson Gley Rodrigues, 29, e Ortelia Oliveira Ribeiro, 47, mãe de Dilson e companheira de Manoel. Com o trio, foram apreendidos 550 kg de maconha, além de duas pistolas, sendo uma PT 45 e uma 9 mm. A maconha apreendida em Presidente Dutra estava avaliada em mais de 2 milhões de reais.

A apreensão do entorpecente foi realizada por militares da 11ª Companhia Independente da Polícia Militar durante uma blitz montada na entrada do município de Presidente Dutra. A prisão aconteceu após os militares suspeitaram do peso da carroceria da caminhonete que circulava na BR-132.

- Estamos dando mais uma vez um choque no tráfico de drogas. Esta é a maior apreensão de maconha deste ano, no Estado. Não vamos permitir que, dentro do Maranhão, os traficantes se instalem e comercializem drogas. As polícias Civil e Militar estão atentas e monitorando qualquer suspeita em todas as cidades - afirmou Aluisio Mendes.

O comandante da 11ª Companhia Independente explicou que a família comprou o entorpecente pelo valor de R$ 400 mil em Goiânia. Ele disse ainda que a droga seria distribuída em várias cidades do Maranhão e que o fato do motorista do carro apresentar vários sinais de nervosismo durante a abordagem policial teria chamado ainda mais a atenção dos militares. Após comprovar o entorpecente escondido na caminhonete, os ocupantes receberam voz de prisão.

No momento da abordagem, o trio tentou subornar os militares oferecendo a quantia de R$ 20 mil para serem liberados. “O fato dos dois cabos e um soldado terem recusado o suborno demonstra o comprometimento e o profissionalismo dos nossos policiais militares”, destacou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Franklin Pacheco.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.