Cidades | Benefícios

Fazenda da Esperança: uma luz para os dependentes químicos

Projeto de Eficiência Energética da Equatorial Maranhão viabiliza condições para que a instituição possa continuar com o trabalho social com pacientes
19/10/2021
Fazenda da Esperança: uma luz para os dependentes químicosCom a troca de lâmpadas e aparelhos e ar-condicionado na Fazenda da Esperança, atividades foram otimizadas (Divulgação)

São Luís - A Fazenda da Esperança, localizada no município de Coroatá, no Maranhão, foi contemplada pelo programa E+ Energia do Bem, que leva eficientização energética a instituições sociais. A entrega oficial do projeto foi realizada no último dia 7 de outubro, na sede da fazenda, em Coroatá, com o objetivo de promover a modernização dos sistemas de eficientização da iluminação, do condicionamento ambiental, da refrigeração do local e a implantação de um sistema de geração de energia fotovoltaica (placas solares) nas instalações da unidade. O valor investido foi R$ 490.762,25, por meio do Programa de Eficiência Energética (PEE) da Equatorial Maranhão e Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

Foram substituídas 273 lâmpadas fluorescentes tubulares, compactas e refletores, por modelos mais eficientes de LED, além da troca de sete condicionadores de ar e 13 equipamentos de refrigeração, pouco eficientes, por modelos com selo Procel e classificação energética A.

Foi realizada também a instalação de um sistema de geração solar fotovoltaica conectado à rede. Essas medidas reduzirão consideravelmente o consumo de energia elétrica e impactarão positivamente em todos os meios envolvidos, tanto na redução dos custos para o beneficiário, como na redução da demanda no horário de ponta para concessionária. Atualmente a redução de energia para a casa é de 50% no valor da fatura. O sistema fotovoltaico, instalado no telhado, foi dimensionado com base no consumo médio da unidade consumidora, a fim de maximizar o impacto social e a redução no consumo de energia elétrica.

Márcia Maia, voluntária da Fazenda da Esperança, pelo grupo Focolares, reafirma a importância da obra realizada e o que representou para o dia a dia do trabalho. “Achei muito bonito o trabalho que a Equatorial fez, a gente recebeu algo muito maior do que tínhamos pensado, pois apesar de ser uma empresa e ter um viés econômico, eles tiveram um olhar sensível, quando souberam do que se tratava o trabalho. Foi um projeto que deu um impacto positivo para a Fazenda, porque muitas vezes as pessoas não percebem o quanto é difícil manter essa estrutura e foi uma ajuda essencial”, enfatiza Márcia Maia, voluntária da Fazenda da Esperança.

Melhorar a estrutura
Laíse Azevedo, gerente de Relacionamento com o Cliente da região Centro do estado, lembra que um dos objetivos do E+ Energia do Bem é a busca por melhorar a estrutura de serviços de uma instituição que é tão importante para a comunidade.

“É com muito orgulho que nos tornamos mais próximos da Fazenda da Esperança, por meio do programa E+ Energia do Bem, e ainda, mais satisfatório fazer parte desse momento de entrega da eficientização desse espaço. Tive a oportunidade de conhecer presencialmente o trabalho que é desenvolvido na Fazenda da Esperança, que ancorados no tripé de trabalho, convivência e espiritualidade, todos os dias, histórias de vida são realmente transformadas. E hoje sentimos que podemos fazer parte disso ao proporcionar uma boa redução na conta de energia e, assim, esse recurso economizado será investido em outras áreas”, observa.

Raymundo Fagner Dias, responsável local pela Fazenda da Esperança, reforça que o principal objetivo da instituição é a recuperação de dependentes químicos e alcoólicos e também compartilha que um dos benefícios maiores com o projeto da Equatorial é a diminuição da energia. Além disso, destaca que a Fazenda tem vários outros projetos que foram beneficiados com a ação, como a padaria, o artesanato, a capela (atividade espiritual) e a produtora de polpa, uma vez que os recursos podem ser destinados para outras demandas agora. Ele ainda explica que a climatização dos ambientes com equipamentos mais eficientes proporciona melhor qualidade de vida. “Conseguimos investir em melhorias. A estrutura é muito grande e conseguimos investir na reforma de guarda-roupas e na compra significativa de colchões, por exemplo. São resultados desse projeto da Equatorial”, expressa.

Projeto da Equatorial incentiva a prática social e o bem-estar
Além da eficientização, a Equatorial Maranhão equipou uma área de convivência com jogos, que foi instalada dentro da Fazenda, para que os internos tivessem mais uma opção de lazer.

De acordo com Raymundo Fagner, uma vez que a Fazenda é um espaço de acolhimento, as comunidades próximas também usufruem dos espaços de lazer, como a quadra e a nova sala de jogos. “O projeto da Equatorial nos proporcionou essas melhorias. A sala de jogos mudou a Fazenda em relação ao lúdico. É um espaço bonito e os acolhidos ficaram muito contentes”, compartilha.

Nesta causa social, que diz respeito ao acolhimento e recondução humanizada de mulheres e homens assistidos (que tem histórias únicas), qualquer pessoa pode ser voluntária. Segundo o responsável Raymundo Fagner, a dependência química no Brasil ainda é estigmatizada. “Há um pouco de preconceito pelo fato das pessoas não entenderem os motivos que levam uma pessoa ao alcoolismo ou dependência química”, explica. Portanto, a Fazenda se coloca como uma fundamental ponte de suporte às pessoas e conscientização da sociedade quanto a esta temática.

SAIBA MAIS

Sobre a Fazenda da Esperança

Com 38 anos de experiência na recuperação de dependentes químicos em vários países, a Fazenda da Esperança é uma comunidade terapêutica, a maior obra da América Latina, que regenera vidas e famílias. Ao todo, são 155 unidades espalhadas pelo mundo, destas 96 estão distribuídas pelo Brasil. No Maranhão, a Fazenda já atua há 35 anos com 10 unidades nos municípios de Balsas, Bacabal, Imperatriz e Coroatá — e nestas duas últimas cidades conta com unidades femininas.

O sucesso da Fazenda da Esperança se deve ao programa de recuperação, o qual se baseia em processos pedagógicos que elevam a autoestima e resgatam a dignidade dos seus acolhidos. No ano de 2017, em média três mil jovens e suas famílias foram assistidas e atualmente 120 pessoas são acolhidas só em Coroatá. Esse programa de recuperação é baseado em um tripé que consiste basicamente no trabalho, na convivência e na espiritualidade. Prova disso é que todos os acolhidos vivem numa irmandade que de tão unida é capaz de devolver aos acolhidos o real sentido da vida, do amor a si e ao próximo, bem como da importância da comunhão.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte