Política | Reagiu

Roberto Rocha repudia Flávio Dino e o chama de "filhote de ditador"

Senador reagiu, segundo ele, a uma ofensa do chefe do Executivo ao vice-prefeito de Caxias durante agenda do comunista no município
Ronaldo Rocha da editoria de Política18/10/2021 às 07h39
Roberto Rocha repudia Flávio Dino e o chama de "filhote de ditador"Roberto Rocha

SÃO LUÍS - O senador Roberto Rocha repudiou o governador Flávio Dino (PSB) após, segundo ele, ofensas proferidas pelo chefe do Executivo ao vice-prefeito da cidade de Caxias, Paulo Marinho Júnior, e o classificou de "filhote de ditador".

“O governador Flávio Dino segue fazendo campanha pelo interior do Maranhão ofendendo e agredindo quem não lhe beija a mão. Agora, em Caxias, terra do poeta Gonçalves Dias, desnecessariamente agrediu covardemente o jovem empresário e vice prefeito da cidade, Paulo Marinho Júnior, na sua ausência”, escreveu o senador em seu perfil em rede social.

Ele disse que Dino engana seus aliados.

“O governador carreirista comunista, filhote de ditador, deveria respeitar pelo menos a história de Caxias, lugar que ele chegou em 2006 de paraquedas. Atualmente, seu projeto é de manutenção de poder. Só isso!! Por isso mesmo está enganando todos os seus “aliados”, porque ficará no governo e não será candidato ao Senado”, disse.

Roberto Rocha também afirmou que pretende disputar o pleito de 2022 para o Senado contra Flávio Dino, mas ponderou que para se consolidar esse cenário, é necessário que uma série de fatores.

“Eu, pessoalmente, gostaria muito de enfrentar Flávio Dino para o Senado, mas isso não depende de mim. Dependerá das circunstâncias!! Como ele é dissimulado, mais falso que uma nota de 17 reais, não posso me posicionar ainda. Ao governador Flávio Dino, meu desprezo e arrependimento, por ter viabilizado sua candidatura ao governo do Estado em 2014.”, finalizou.

Outro lado

O Estado entrou em contato com a assessoria do Governo do Maranhão para obter um posicionamento, e aguarda uma resposta.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte