Esporte | Clima tenso

Clima pesa e pressão aumenta no Sampaio Corrêa na Série B

Tricolor venceu apenas uma partida nos últimos 11 jogos e técnico passa a ser questionado pela torcida e até pela direção do clube, que já admite briga para se manter na Série B
Eduardo Lindoso/ Editor de Esportes 06/10/2021
Clima pesa e pressão aumenta no Sampaio Corrêa na Série B Técnico Felipe Surian tem sido muito criticado pelas mudanças constantes na equipe e presidente do clube fez forte cobrança (John Tavares / Sampaio Corrêa)

SÃO LUÍS - Além do Vasco, o Sampaio Corrêa tem como seu grande adversário na partida de deste sábado (9), a instabilidade da equipe nesta Série B. Desde a rodada 17, quando bateu o Náutico, já se foram 11 partidas, e o time boliviano venceu apenas uma vez. A moral do técnico Felipe Surian com a torcida não anda nada boa e o comandante vive forte pressão, inclusive, da própria direção do clube. Para este jogo contra os cariocas, após polêmica, foi liberada a entrada de torcedores com a camisa do Vasco, antes proibida pelo time maranhense.

A sequência de sete jogos sem vencer, a pior do time no campeonato, tem sido motivo de bastante pressão no Sampaio Corrêa nesta reta final da Série B. Com apenas uma vitória nos últimos 11 jogos, a equipe não consegue reagir e acumula partidas ruins. Foram 18 gols sofridos, contra 11 marcados. Nesta fase ruim, a Bolívia superou apenas o CSA, por 2 x 0, em São Luís, mas tropeçou sob seus mandos diante do Avaí (2 x0), Operário (0x0), Brusque (2 x 2) e Remo (1x1). Isso sem contar as derrotas fora, contra Ponte Preta (3x2), Confiança (2x0), Botafogo (2x0) e Londrina (3x1). Teve um empate, por 1 x 1, em Minas, com o Cruzeiro e um 2 x 2 com a Ponte.

Essa campanha ruim tem se refletido nas redes sociais e também no estádio, com a torcida pedindo a saída do técnico Felipe Surian, que tem mudado bastante a equipe de uma partida para outra, sem ainda ter achado, pelo menos, uma base sólida entre os titulares. Até o presidente do clube, Sérgio Frota, tem feito cobrança nessa direção.
“Mais um resultado ruim [derrota para o Londrina], depois de sairmos na frente contra um time que está na parte de baixo da tabela. Nada justifica essa sequência negativa de sete jogos. Salários e aluguéis em dias, condições de trabalho dignas de um time de Série B. Time reforçado conforme solicitação da comissão técnica, e por aí vai”, escreveu Frota, em uma rede social.

O próprio dirigente chegou a afirmar que neste momento a briga do Sampaio é para se manter na Série B. “Tenho consciência da importância dessa vaga na Série B, que passa ser o nosso objetivo”, afirmou.

O Sampaio enfrenta o Vasco neste sábado (9), às 21h, no estádio Castelão, pela 29ª rodada da Série B.

Camisa do Vasco

A diretoria do Sampaio Corrêa havia anunciado nas redes sociais do clube que apenas torcedores com a camisa do Tricolor poderiam entrar no Castelão. O protocolo sanitário da CBF, inclusive, cita que apenas torcedores do time mandante podem entrar nos estádios. No entanto, o presidente do Sampaio, Sérgio Frota, afirmou que conversou com autoridades, inclusive com o departamento jurídico do clube. e resolveu retirar essa exigência.

“O protocolo fala em evitar deslocamento estadual e municipal, e nós estamos falando do torcedor do Vasco que está aqui, em São Luís, no Maranhão. E São Luís é umas das cidades que tem um dos melhores trabalhos no combate a covid-19, graças aos poderes estadual e municipal. Eu, inclusive, solicitei o aumento da capacidade de pessoas dentro do estádio”, disse Frota, se referindo também a possibilidade de aumentar a capacidade de pessoas no estádio, que neste momento é de apenas 30%.
O Sampaio tem 37 pontos e ocupa a 11ª posição na Série B.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte