Alternativo | Comentário

O amor é tão delicado quanto as flores do jardim

De forma sensível e delicada, o filme "O Jardim Secreto de Mariana", do cineasta Sérgio Rezende, volta-se para as fragilidades das relações afetivas
Bruna Castelo Branco/Editora do Alternativo18/09/2021
O amor é tão delicado  quanto as flores do jardimCena de "O Jardim Secreto de Mariana" (Divulgação)

São Luís - Exibido na noite de de abertura do Festival Guarnicê de Cinema, o filme “O Jardim Secreto de Mariana”, do cineasta Sérgio Rezende, um dos homenageados desta edição do festival, volta o seu olhar para a delicadeza e, às vezes, fragilidade das relações afetivas.

João (Gustavo Vaz) e Mariana (Andreia Horta) formam um casal aparentemente com a vida perfeita. Ele é um economista que não exerce a profissão e dedica-se ao cultivo de alimentos orgânicos no sítio herdado pelo pai José (Paulo Gorgulho) e ela é uma especialista em reprodução de flores, uma das maiores referências no assunto. Apaixonados, o casal vê sua relação perfeita desmoronar com a impossibilidade de gerar um filho desse amor: João é estéril e gerar um filho é um dos grandes sonhos de Mariana.

Pesquisadora em reprodução de flores, Mariana acredita na reprodução como algo instintivo e da natureza e João, tenta compensar a falta causada no relacionamento com outras ocupações como ganhar dinheiro, por exemplo. A relação acaba de forma traumática e, cinco anos depois, João decide conversar com Mariana e compreender o lado dela no processo que levou a separação do casal.

E o público que assiste vê o processo de investigação emocional que o casal passa até enfim ir ao encontro de sua essência, como se eles precisassem passar por todas as fases, sejam elas pesadas ou não, para reencontrar o equilíbrio de cada um.

Escolhas
Conhecido por filmes que abordam temáticas sociais como “Salve Geral”, “Zuzu Angel”, “Lamarca” e “O Homem da Capa Preta”, este último roteirizado em parceria com o maranhense José Louzeiro, falecido em dezembro de 2017, Rezende trouxe um filme afetivo, delicado e focado na sutileza das relações. Para o roteiro, ele contou a parceria da filha Maria Rezende e trouxe um filme com uma temática delicada e feminina. A frase “meu corpo, minhas regras” faz parte do título do filme: “O Jardim Secreto de Mariana”, nada mais é que o seu universo particular, é o corpo dela, as escolhas que ela faz para a sua vida que são independentes da relação amorosa com João ou qualquer outra pessoa. A vida de Mariana, as suas escolhas de reprodução tem a mesma força instintiva da procriação das flores que ela estuda. O seu universo particular da reprodução, como tem que ser, só diz respeito a ela mesma, as suas vontades.

“O Jardim Secreto de Mariana” foi rodado ao longo de quatro semanas no Instituto Inhotim, em Minas Gerais, e em Nova Friburgo, no Rio de Janeiro.

Além da parceria com a filha Maria Rezende na construção do roteiro, o cineasta também buscou inspiração em sua extensa obra e revisitou o ensaio cinematográfico “O Cinema é meu Jardim” (2004).
E oferece ao público o universo secreto de Mariana e suas diferentes variações de instintos, natureza e amor. l

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte