Cidades | Tratamento

Câncer de intestino é o segundo tipo mais comum em homens e mulheres

A partir dos 50 anos é importante buscar atendimento para o rastreamento do câncer de intestino, por meio da colonoscopia
13/09/2021 às 18h06
Câncer de intestino é o segundo tipo mais comum em homens e mulheres. (Divulgação)

São Luís - Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA) o câncer de intestino é atualmente o segundo tipo de tumor mais comum em homens e mulheres. Fatores genéticos associados a maus hábitos alimentares, sedentarismo e obesidade então entre as principais causas. A boa notícia é que o câncer de intestino é tratável e atinge altos níveis de cura quando diagnosticado precocemente, sendo fundamental o rastreio desse tipo de doença e atenção à prevenção.

De acordo com cirurgião oncológico do Corpo Clínico da Oncoradium São Luís, Rede Onco, Leoberth Silva Araújo, a partir dos 50 anos – idade considerada como um dos fatores de risco - é importante buscar atendimento para o rastreamento do câncer de intestino, por meio da colonoscopia. “Quem teve algum parente do primeiro grau acometido por câncer intestinal, deve iniciar o rastreio aos 40 anos”, reforça.

O médico reforça, ainda, que a presença de sangue nas fezes, massa abdominal, dor, perda de peso, anemia e mudança de hábito intestinal (diarreia ou constipação) são alguns dos principais sintomas e podem servir de alerta para que o paciente procure um médico o mais rápido possível.

Leoberth Araújo recomenda a importância do controle do peso, prática de atividade física, evitar o tabagismo, assim como manter uma alimentação saudável como forma de prevenir a doença. “Devemos sempre buscar uma alimentação saudável composta, principalmente, por alimentos naturais como frutas, verduras, legumes, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, grãos e sementes, e evitar processados”, orienta.

Tratamento
Após diagnosticado com a biópsia por meio do exame endoscópico, o tratamento a ser adotado é totalmente individualizado, pois será levado em conta a localização, tamanho e presença ou não de lesões à distância, ou seja, em outros órgãos. De acordo com o médico, é possível lançar mão desde a cirurgia até o tratamento com quimioterapia e radioterapia durante o tratamento.

“O câncer de intestino é tratável quando diagnosticado de forma precoce e com grandes possibilidades de cura”, assegura.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte