Geral | Viagem clandestina

Operação da PF combate migração ilegal após naufrágio com maranhenses a bordo

Foram alvos da ação, com mandados de busca e prisão preventiva, o dono do barco e dois homens que teriam sido responsáveis por agenciar a viagem clandestina
Daniel Matos10/09/2021 às 17h20
Operação da PF combate migração ilegal após naufrágio com maranhenses a bordo  Informações levadas por parentes de pessoas que estavam a bordo levaram a PF ao encalço dos acusados (Divulgação)

A Polícia Federal, com o apoio da Polícia Militar do Amapá - BOPE/COE deflagrou na manhã desta sexta-feira, dia 10/09, a Operação Tritão*, em Oiapoque/AP, extremo Norte do estado do Amapá. O objetivo é desarticular organização criminosa que atua na promoção de migração ilegal de brasileiros para o exterior.

Foram alvos da ação, com mandados de prisão preventiva, dois homens que teriam sido responsáveis por agenciar a viagem clandestina que terminou no naufrágio de uma embarcação que saiu daquele município, fato ocorrido em 28 de agosto no mar da Guiana Francesa. Membros de uma família de maranhenses estão entre as vítimas do acidente marítimo e continuam desaparecidos. Além dos dois agenciadores, foi alvo de busca o proprietário do barco usado na travessia.

A investigação, que contou com a ajuda francesa, do Centro de Cooperação Policial (CCP) – Brasil/França, e dos oficiais de ligação da Polícia Federal em Saint George e Caiena, foram iniciadas após informações levadas à Polícia Federal por parentes de pessoas que estavam a bordo. No total, foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva e outros três de busca e apreensão nas residências dos investigados. Ainda de acordo com o que se apurou, os responsáveis pela migração clandestina receberam em torno de R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) pela viagem.

Os envolvidos poderão responder, na medida de suas responsabilidades, por promoção de migração ilegal e atentado contra a segurança de transporte fluvial com naufrágio e por possíveis mortes. Inicialmente, as penas podem chegar a 17 anos de reclusão.

Apenas em 2021, a Polícia Federal deflagrou no Amapá seis operações policiais que tinham como alvo indivíduos que promovem migração ilegal: Operação Quinino (com três fases) e Operação Catraia (com duas fases) em Oiapoque/AP. Já em Macapá, houve a Operação Cruce.
*Tritão é um deus marinho da mitologia grega que é conhecido como o Rei dos Mares.

O barco saiu de Oiapoque, a 590 km de Macapá, em 28 de agosto, com destino a Caiena, capital do território francês. Pelo menos 24 pessoas estavam a bordo, sendo 17 homens e sete mulheres. Segundo o Centro Operacional Regional de Vigilância e Resgate (CROSS) Antilhas-Guiana, as 24 pessoas, todas brasileiras viajavam no barco, de pequeno porte. Quatro sobreviventes foram socorridos e três óbitos foram confirmados pelas equipes de resgate.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte