Cidades | Feriadão

Banhistas passam o feriado na praia, mas temem balneabilidade

De acordo com o último boletim da Sema, nove pontos de praia estão impróprios para banho na Ilha; banhistas temem doenças
Bárbara Lauria / O Estado08/09/2021
Banhistas passam o feriado na praia, mas temem balneabilidadeFeriadão tem sido marcado por grande movimentação de banhistas nas praias da Grande Ilha (Matheus Soares / O Estado)

São Luís – Com o feriadão (de 4 a 8 de setembro), as praias da Grande Ilha se tornaram um grande atrativo para o público que deseja descansar da rotina ou até mesmo para os turistas, que querem conhecer a orla da cidade, que completa aniversário. Contudo, a balneabilidade dos mares ainda é um fator que preocupa os banhistas que querem aproveitar o dia.

A autônoma Janiete de Fátima decidiu levar seus filhos e sobrinhos para aproveitar o dia de sol na praia do Calhau, mas conta que, após ter pego “pano branco” - uma infecção fúngica comum que provoca pequenas manchas descoloridas na pele -, ela sente receio de ir ao mar e de deixar seus filhos irem.

“Amo a praia e é uma ótima opção para as crianças, já que estamos sempre em casa devido a pandemia. Meus filhos e sobrinhos se divertem muito, mas não deixo que entrem no mar. Tenho muito medo de a água estar suja, eu já cheguei a ter pano branco após tomar banho no mar daqui, tenho até hoje a marca, então prefiro não arriscar”, conta.

Imprópria
Uma praia é considerada imprópria para banho quando são identificadas densidades superiores a 100 unidades de colônias desta bactéria para cada 100 mililitros de água (100 UFC/100 ml) em duas ou mais amostras dentro de um conjunto de cinco semanas. Ou ainda valor superior a 400 unidades desta colônia na última amostragem. A presença da quantidade destes organismos além do limite estabelecido é motivada por uma série de fatores.

A nutricionista Jaqueline Freitas também prefere curtir a praia com sua família na área dos bares, pois teme, tanto a contaminação de doenças no mar, como o risco de afogamento. “A gente nunca sabe quando a água está impropria ou não, então acho melhor evitarmos e aproveitarmos a praia só aqui na faixa de areia. Até porque é importante ter cuidado na água para não se afogar”, relata a nutricionista.

Riscos de contaminação
De acordo com especialistas, um dos principais riscos das praias improprias para banho é a propagação de doenças em banhistas e, até mesmo, naqueles que ficam na areia. Os riscos podem ir de dermatites a infecções nos olhos, ouvidos, nariz e até doenças mais graves como Hepatite A.

Rosana Castelo Branco, médica da família, explica que as dermatites podem ser causadas tanto pelo contato quanto por micro-organismo, como bactérias. “Ao contrário do que pensam, as dermatites podem acontecer com qualquer um, e não só com quem tem feridas abertas. O contato da pele com esses coliformes fecais pode gerar irritação, vermelhidão e até mesmo feridas. Em caso de pessoas que já estão com feridas abertas, o contato com a água contaminada pode, inclusive, gerar infecções e queimadura”, explicou a médica.

A hepatite A, doença infecciosa aguda causada pelo vírus VHA, é transmitida via oral-fecal e é comumente passada quando o banhista ingere a água do mar. De acordo com Rosana Castelo, as crianças são os principais afetados por essa doença. “Crianças costumam ser mais propensas a essas doenças pois, além da fragilidade da imunidade, elas costumam ingerir água quando nadam e brincar na areia”, destacou.

A médica também lembrou dos riscos de propagação de doenças pela areia da praia. “Muitas vezes, devido a animais que passam pela areia da praia, há o risco de outras doenças como o Bicho Geográfico, que é transmitido pelas fezes do cachorro”, explicou. Bicho Geográfico é uma doença causada por um parasita que se hospeda na pele de seres humanos, causando irritação e muita coceira.

Para evitar a contaminação, a médica enfatiza a importância de evitar banhos em locais impróprios: “O ideal é que seja evitado o banho em praias improprias, mas caso ele ocorra, é importante que logo após a pessoa tome banho com água e sabão e evite o contato com olhos, bocas e nariz”.

Turismo e cuidados
Outro alerta apontado pelo Corpos de Bombeiros do Maranhão, é o cuidado com acidentes nas águas, principalmente durante este período em que há um aumento de turistas na Ilha. De acordo com a Infraero, cerca de 20 mil turistas devem passar pela Ilha durante o feriado. O número de passageiros previsto para ser maior vai de sexta-feira (3) e quarta-feira (8), datas que marcam o início e fim do feriadão. Em relação ao número de aeronaves, também houve o aumento no número de operações em 87%. Quanto à hotelaria de São Luís, a região da orla está com aproximadamente 60% de ocupação.

Tendo isso em vista, o Corpo de Bombeiros intensificou a fiscalização e a prevenção de acidentes nas praias. “Sabemos que nesse período há um aumento de pessoas nas praias, principalmente de outros municípios que não conhecem a nossa variação de maré. Por isso, intensificamos os trabalhos e redobramos as equipes. Estamos fazendo o acompanhamento desde os ônibus de turistas que chegam às orlas, a até mesmo aqueles que vão ao mar, para evitar que ninguém passe da arrebentação”, explicou o Coronel Célio Roberto.

A quantidade de casos de afogamento continua sendo abaixo das ocorrências em nível nacional, que segundo a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), são de 16 registros de mortes por afogamento por dia, no país.

SAIBA MAIS

De acordo com o último boletim de balneabilidade das praias da Grande Ilha, divulgados pela SEMA (Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais) no dia 30 de agosto, dos 22 pontos analisados, nove estão impróprios para banhos. São eles:

  • Praia Ponta d’Areia, em frente à rampa de acesso à praia, lado direito do Praia Mar hotel;
  • Praia de São Marcos, em frente ao Posto Guarda Vidas – Bombeiros;
  • Praia de São Marcos, em frente ao prédio verde com o Heliporto;
  • Praia de São Marcos, em frente à Banca de Jornal da Praça de alimentação da Litorânea;
  • Praia do Olho d’Água, em frente à descida da rua São Geraldo;
  • Praia do Olho d’Água, à direita da Elevatória Iemanjá II;
  • Praia do Olho d’Água, em frente à casa com pirâmides no teto, antes da falésia ;
  • Praia do Meio, próximo ao Bar e Restaurante Capiau 2;
  • Praia do Araçagi, em frente ao Bar da Atalaia.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte