Cidades | O Estado de Olho no Preço

Saiba o preço do serviço de estacionamento rotativo em São Luís

O Estado de Olho no Preço passou pelo São Francisco, Centro, Monte Castelo, Renascença e outros; o menor preço é R$ 2,90
Kethlen Mata/ O Estado 02/09/2021
Saiba o preço do serviço de estacionamento rotativo em São Luís. (Paulo Soares / O Estado)

São Luís – Com o passar dos anos o espaço nas cidades têm diminuído e para muitas pessoas estacionar é um dilema e em São Luís, a exploração do comércio de vagas de estacionamento se expande de forma acelerada. Em algumas regiões, os preços são altos, dependendo do tempo de permanência. Sendo assim, O Estado de Olho no Preço pesquisou nesta quarta-feira, 1°, os valores cobrados por estacionamento em alguns bairros da Ilha.

A expansão acontece e muitas vezes de forma irregular, alguns espaços não têm autorização da Prefeitura para funcionar, por esse motivo a pesquisa se concentrou em tabelar rotativos localizados em imóveis - não que os estacionamentos em imóveis sejam todos regularizados, mas, pelo menos, há um espaço delimitado e teoricamente seguro para os veículos.

O manobrista Jean Gomes relata que a situação atual é difícil para o seu tipo de negócio, uma vez que a pandemia o impactou diretamente. “Porque está todo mundo com medo dessa doença e o movimento está mesmo parado, quebrado. É como se estivéssemos no primeiro período da pandemia, do mesmo jeito, até na rua não há movimento”, afirmou.

No levantamento realizado nesta quarta-feira, 1º, foi possível verificar uma média de valores cobrados em estacionamentos, de R$ 4,50. O espaço, com a vaga mais barata para carros, foi encontrado por R$ 2,90 no Monte Castelo, e o mais caro, R$ 6,00 no bairro São Francisco.

A Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) informou, em nota, que a construção de imóveis destinados a estacionamento de veículos, ou mesmo a reforma, ampliação ou intervenção nestes estabelecimentos por meio de pequenos serviços, depende de autorização prévia, obtida por meio de Alvará ou Licença para Construção.

O funcionamento dos espaços também exige liberação da Semurh, por meio de Alvará de Habite-se Comercial. A Semurh ressaltou que, para este tipo de estabelecimento, as avaliações são feitas em conformidade às diretrizes definidas pela

Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT). A documentação necessária para solicitação dos alvarás citados pode ser consultada no site da Semurh.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte