Cidades | Conscientização

APAE realiza programação para debater inclusão para pessoas com deficiência

A Semana Nacional da Pessoal com Deficiência Intelectual e Múltipla acontece até o dia 28 de agosto
26/08/2021
APAE realiza programação para debater inclusão para pessoas com deficiência Sebastião Vanderlaan Rolim, Pres. da APAE de São Luís (Divulgação)

São Luís - Além de não serem aceitas totalmente na comunidade de modo geral – seja em escolas, ambientes públicos e coletivos, e mercado de trabalho – as pessoas com deficiência também não são representadas sem preconceito em áreas como a propaganda, por exemplo. Por isso, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de São Luís está promovendo diariamente até o dia 28 de agosto, uma ampla programação com debates, vídeos e oficinas, que podem ser conferidas nos canais oficiais do YouTube (Apae São Luís) e instagram (@Apaedesaoluis).

A Semana Nacional da Pessoal com Deficiência Intelectual e Múltipla é mais que oportuna, e esse ano tem como tema: “É Tempo de Transformar Conhecimento em Ação”. Ou seja, é um chamamento para a sociedade como um todo entender que é preciso agir de fato, para incluir esse público e avançar enquanto sociedade.

Ações que precisam deixar de ser pontuais para serem cotidianas, a exemplo do que fez a marca de beleza L’Oréal Paris ao anunciar Maju de Araújo, de 18 anos, como a 1ª brasileira com Síndrome de Down a compor o time de embaixadoras da marca. Ao lado de mulheres como Taís Araújo e Larissa Manoela, Maju reforça a mensagem da marca de que a beleza está na pluralidade, incluindo pessoas com deficiência. Na época em que foi escolhida, a modelo Maju postou em suas redes sociais o seguinte desabafo:

“No mundo sempre existiu um lugar pra mim, mesmo quando era difícil de acreditar, e hoje posso dizer que finalmente me encontrei. Ser modelo não é sobre luxo e fama, é um trabalho que nos coloca como referência e símbolo de representatividade daqueles que ainda não descobriram seu lugar no mundo. Como sempre gosto de dizer, a beleza é diversa, é colorida, é real e você não precisa mudar nada para que haja beleza em você! Que continuemos construindo e reconstruindo uma sociedade consciente e repleta de oportunidades e espaço para todos. Que a representatividade, empatia e o respeito sejam rotineiros!” disse Maju.

Segundo a LBI – Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146 de 2015) – é obrigação de toda a sociedade conhecer e respeitar esse Estatuto que assegura direitos, igualdade de oportunidade e acessibilidade às pessoas com deficiência intelectual e múltipla. Isso passa não apenas pelas oportunidades de estudo, como também oportunidades de trabalho para as pessoas com deficiência, além da locomoção urbana.

Para o Pres. da APAE de São Luís, Sebastião Vanderlaan Rolim “é preciso debatermos mais com a sociedade questões como transporte, saúde, moradia, acesso à educação e assistência social. Precisarmos ter uma sociedade mais justa e mais inclusiva de fato”, prega ele.

Inspirações

Graças às redes sociais pessoas com deficiências começaram a ser vistas de forma mais inclusiva, e alguns influenciadores ganharam além de milhares de seguidores, além de apoio, respeito e aceitação social. Vale a pena conhecer perfis de PCD´s no instagram como @_pequenalo, da psicóloga Lorrane Silva que usa humor para mostrar seu cotidiano como o mais feliz e “normal” possível, com sua baixa estatura e deficiência física mostradas como uma realidade e não como um problema. Outro que faz sucesso é Gabriel Bernardes, que tem síndrome de down e começou a cozinhar aos nove anos e não parou mais. Fez cursos de culinária e comanda com sucesso canal no YouTube e no instagram (@downlicia_oficial) onde ensina receitas deliciosas e compartilha seu dia a dia, sendo também embaixador de algumas marcas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte