O Mundo | Afeganistão

Sete pessoas morreram ao redor de aeroporto de Cabul, diz Ministério da Defesa do Reino Unido

Secretário britânico afirma que nenhum país vai conseguir retirar todos os cidadãos em tempo hábil se o prazo de permanência dos EUA não for ampliado
22/08/2021 às 09h09
Sete pessoas morreram ao redor de aeroporto de Cabul, diz Ministério da Defesa do Reino UnidoDesde que o Talibã retomou o poder em Cabul, mortes têm sido registradas no Afeganistão (Reprodução/YouTube)

O Ministério da Defesa do Reino Unido informou que sete pessoas morreram no sábado, 21, em meio a uma multidão nos arredores do aeroporto de Cabul, no Afeganistão, que tentava embarcar em voos para deixar o país.

Segundo a Reuters, as sete pessoas foram esmagadas contra os portões. A agência disse que um oficial da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) relatou ao menos 20 mortes nos últimos sete dias dentro ou nos arredores do aeroporto.

O Talibã conseguiu estabelecer ordem e tentou organizar filas para o acesso, de acordo com informações da Reuters. No sábado, os Estados Unidos alertaram para os riscos na região.

"Nossos sinceros pensamentos estão com as famílias dos 7 afegãos que morreram nas multidões de Cabul", diz uma nota do Ministério da Defesa britânico.

Neste domingo, 22, o secretário de Defesa do Reino Unido, Ben Wallace, escreveu uma coluna no jornal Daily Mail e disse que se o prazo estabelecido pelos EUA para deixar o Afeganistão não for ampliado, não haverá tempo para evacuar todas as pessoas que querem deixar o país.

"Talvez os americanos possam ficar mais tempo, e eles terão nosso completo apoio se eles ficarem (...) Eu tenho dito o tempo todo que nenhuma nação vai conseguir retirar todo mundo", afirmou Wallace.

Segundo ele, os afegãos que queiram fugir do Talibã terão que se encaminhar para as fronteiras por conta própria se os americanos não estenderem a permanência. "Nós vamos estabelecer uma série de hubs nas fronteiras para aqueles afegãos que nós temos a obrigação de trazer para o Reino Unido", disse.

A Agência de Refugiados da ONU faz um apelo para que países que fazem fronteira com o Afeganistão mantenham as fronteiras abertas para a entrada de imigrantes.

Segundo a representante da agência, Caroline Van Buren, a maioria dos afegãos não consegue deixar o país por vias legais. Ela alertou que até o último sábado não haviam voos comerciais chegando ou saindo de Cabul.

Acordo

O presidente Joe Biden entrou em acordo com o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, para usar duas bases militares no sul da Espanha para receber afegãos que trabalharam para o governo dos EUA.

"Eu tive uma conversa significativa com o presidente Joe Biden na qual falamos sobre interesses comuns, particularmente na situação do Afeganistão e a colaboração entre os nossos governos para evacuar cidadãos daquele país", escreveu Sánchez em sua conta de Twitter.

Os Estados Unidos aconselharam, neste sábado, 21, que norte-americanos no Afeganistão evitem ir para o aeroporto de Cabul, após milhares de pessoas terem tentado fugir do país depois que o Talibã assumiu o poder.

O aviso chegou após um dos cofundadores do Talibã, Mullah Baradar, chegar a Cabul para reuniões com outros líderes para formar um novo governo afegão.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte