Cidades | VARA DA MULHER

Autores de violência participam de grupo reflexivo de gênero

Grupo Reflexivo de Gênero trabalha com autores de violência doméstica e, um de seus objetivos é diminuir o risco de atos violentos realizados pelos participantes, entre outros
30/07/2021 às 18h20
Autores de violência participam de grupo reflexivo de gêneroGrupo reflexivo vara da mulher (Divulgação)

São Luís - A 1ª Vara de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de São Luís iniciou mais um Grupo Reflexivo de Gênero com homens autores de violência doméstica. Na última terça-feira (27), a magistrada titular da unidade judiciária, Rosária de Fátima Duarte, participou do segundo encontro, expondo pontos que serão debatidos na nova turma do Grupo Reflexivo. A reunião aconteceu de forma virtual.

A magistrada fez uma apresentação para os participantes, explicando as temáticas que serão discutidas, tais como, a Lei Maria da Penha, gênero, ciclo da violência e discussão sobre situações de conflitos de forma não violenta, além de destacar que os homens participantes serão multiplicadores do conhecimento que irão adquirir.

O Grupo Reflexivo de Gênero trabalha com autores de violência doméstica e, entre seus objetivos, destacam-se: diminuir o risco de atos violentos realizados pelos participantes; responsabilizar os autores de autores de agressão pelos atos cometidos; desnaturalizar a violência; elevar o nível de consciência da consequência dos atos de violência; combater as expectativas de poder e de controle; trabalhar a desigualdade de gênero, buscando mudanças de atitude e comportamento das relações; e promover relações mais respeitáveis e equitativas.

O projeto piloto do Grupo Reflexivo foi feito em 2008, logo após a implantação da 1ª Vara da Mulher. Segundo o coordenador do grupo, psicólogo Raimundo Ferreira Pereira Filho, já foram criados mais de 20 grupos, com número de participantes variados. Ele acrescenta que durante os 13 anos de trabalho, mais de 300 homens autores de violência já participaram dos grupos reflexivos e a reincidência é muito baixa, quase zero.

Devido à pandemia do novo coronavírus (COVID-19), as reuniões do Grupo Reflexivo estão sendo realizadas on-line. Na primeira etapa, os encontros, que duram três meses, são semanais, nas terças-feiras, com duração de duas horas. Na segunda etapa, também com duração de três meses, os encontros são mensais. Atualmente também há outro grupo mais avançado, que já está na segunda etapa.

Antes do período pandêmico, os encontros do Grupo Reflexivo eram realizados de forma presencial, com cerca de 30 participantes. O coordenador, Raimundo Ferreira, explica que a experiência virtual deve ser mantida, mantendo os dois formatos, presencial e on-line, ou mesmo o sistema híbrido.

O Grupo Reflexivo, que iniciou recentemente, tem cerca de sete participantes. Raimundo Ferreira afirma que a equipe “pensou nas dificuldades que alguns homens poderiam ter, como acesso à internet, manuseio de recursos eletrônicos etc, por isso estamos trabalhando com um número reduzido de participantes.”

Os encontros são mediados pelos profissionais da equipe multidisciplinar da 1ª Vara da Mulher, formada por psicólogos e assistentes sociais. Neles são discutidos temáticas sobre o conceito de violência, instrumentos para solução de conflitos, relacionamento familiar e conjugal entre outros. São integrantes da equipe o psicólogo Raimundo Ferreira, as assistentes sociais Joseane Abrantes, Tatiana Carvalho e Carla Jeanne Gama.

HOMENS PARTICIPANTES DO GRUPO REFLEXIVO
A equipe multidisciplinar faz uma busca nos processos sentenciados, oriundos da 1ª e 2ª Vara da Mulher, e por vezes, a sentença já encaminha os homens para o grupo; logo após é feito um cadastro dos homens encaminhados e uma triagem por meio de uma entrevista. O coordenador, Raimundo Ferreira, explica que no momento da triagem a equipe avalia os homens que têm o perfil para participar do grupo, ele lembra “que nem todos os homens encaminhados para o grupo estão preparados para a experiência reflexiva sobre o comportamento violento nos relacionamentos e a entrevista é o momento que se observa os pontos para inclusão ou exclusão daquele homem.”

São critérios de exclusão: homens que têm envolvimento com álcool, drogas, substâncias psicoativas; que respondem a outros crimes, como homicídios, e com problemas psiquiátricos.

SAIBA MAIS

PERFIL DO HOMEM AUTOR DA VIOLÊNCIA
Segundo dados da pesquisa realizada pelo psicólogo Raimundo Ferreira, no ano de 2017, a partir da análise das Medidas Protetivas de Urgência (MPU) da 2ª Vara Da Mulher, no perfil dos autores de violência doméstica destaca-se que: a maioria são jovens, entre 26 a 43 anos, e solteiros, com renda definida, possuem filhos com as vítimas e não respondem a outros processos criminais. Os dados levantados também mostram que a maioria das agressões foi praticada pelos ex-companheiros (39%) e companheiros (27%); o ato violento mais praticado foi a violência psicológica (37,6%), seguida pela violência moral/injúria (29,6%) e violência física (24,6%); o local da violência doméstica e familiar foi a residência da mulher (69%) e o tipo de arma utilizada no ato violento foi objeto perfuro cortantes (branca).

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte