Política | Covid-19

Capital registra redução da taxa de ocupação de leitos de UTI

Relatório divulgado pelo município apresenta uma taxa de ocupação de leitos de UTI de 80%; na semana passada ocupação chegou a 97%
Ronaldo Rocha da editoria de Política12/07/2021 às 00h00
Capital registra redução da taxa de ocupação de leitos de UTIDivulgação

SÃO LUÍS - Relatório divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de São Luís atesta redução da taxa de ocupação de leitos de UTI na capital - destinados exclusivamente para tratamento da Covid-19 -, na última semana.

De acordo com o boletim divulgado, a taxa de ocupação dos leitos de UTI até o último sábado, era de 80%. Ou seja, de um total de 40 leitos disponíveis na rede municipal, 32 estavam ocupados até aquela data.

Já em relação a leitos clínicos [enfermaria], a taxa de ocupação era de 27,5%. Isso porque de um total de 80 leitos disponíveis na rede, 22 estavam ocupados.

Na semana passada, contudo, o cenário era outro.

Até a última quarta-feira, por exemplo, a taxa de ocupação de leitos de UTI na rede municipal chegou a 97,5%. Dos 40 leitos disponíveis, 39 estavam ocupados.

Já em relação aos leitos de enfermaria, a situação era mais tranquila. Dos 80 leitos da rede, apenas 23 estavam ocupados (28,7%).

“Queda sustentável”

Em entrevista concedida na última sexta-feira, o governador Flávio Dino havia apresentado um cenário de “queda sustentável” na taxa de ocupacao de leitos de UTI destinados exclusivamente a pacientes diagnosticados com Covid-19 e internados na rede estadual de Saúde.

Na oportunidade ele também apontou a queda na taxa de letalidade da doença no estado e vinculou os números à elevação do percentual de vacinação contra o vírus no estado.

“Acompanhando, por intermédio da equipe de profissionais da Secretaria de Saúde, podemos verificar muito nitidamente a importância da vacina e da vacinação. Incrivelmente ainda há pessoas que não estão valorizando a vacina. Quero enfatizar o apelo para que haja um esforço coletivo nesta direção, abrangendo gestores públicos, empresas privadas, cidadãos, as igrejas, as entidades da sociedade civil para que com isso nós tenhamos um autêntico mutirão”, disse.

E completou, ao apontar para os gráficos: “Nós vemos aqui que houve um decréscimo no número de óbitos, na medida que a vacinação cresce. É, portanto, uma demonstração científica, cabal e indiscutível, quanto à importância da vacina”, disse.

“Nas últimas semanas nós temos uma queda sustentável, uma queda nítida na procura de leitos de UTI na rede estadual, mantida pelo Governo do Maranhão. E isso impacta positivamente também na taxa de letalidade, porque menos pessoas em UTI, significa que provavelmente nós teremos menos óbitos no futuro”, finalizou.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte