Cidades | Volta às aulas

Rede municipal prevê volta às aulas presenciais para segundo semestre

Epidemiologista alerta para risco do retorno às aulas presenciais e Prefeitura aguarda autorização do Ministério da Saúde para começar a imunizar crianças e adolescentes
Bárbara Lauria / O Estado06/07/2021 às 00h00
Rede municipal prevê volta às aulas presenciais para segundo semestrePrevisão é de que escolas municipais voltem a receber alunos em agosto (De Jesus / O ESTADO)

São Luís – Com o avanço da imunização em São Luís, em mais de 80% da população que pode ser vacinada, a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), está planejando o retorno gradual das aulas presenciais dos alunos da rede municipal para o segundo semestre de 2021. Ainda sem data oficial, o retorno deve começar pela Unidade Educação Básica (UEB) Senador Miguel Lins, na região do Ipase de Baixo.

Na última quinta-feira, 1º, o secretário municipal de educação, Marco Moura, se reuniu na Câmara Municipal com a Comissão de Educação, Cultura, Desporto e Lazer, para definir protocolos e medidas para que o retorno das aulas presenciais ocorra de forma segura. “A previsão é de que os estudantes só retornem às escolas a partir do segundo semestre, provavelmente, em agosto e, de forma gradual”, afirmou Marco Moura, que acrescentou que protocolos estão sendo realizados para garantir a segurança dos estudantes.

Durante a reunião, também foi abordado a respeito das mudanças estruturais necessárias em algumas escolas, para receber os alunos de forma adequada durante o segundo semestre. De acordo com a Semed, no início do ano foi realizado um diagnóstico nos prédios que abrigam as escolas, para constatar os problemas físicos. A partir daí, foi possível verificar quais escolas precisavam das intervenções necessárias para receber os alunos no segundo semestre. Durante a reunião, o secretário apresentou um relatório das reformas já executadas em algumas unidades escolares e as que necessitam com maior urgência, além de ações de fortalecimento no ensino remoto.

Procurada por O Estado, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou, em nota, que está elaborando um protocolo sanitário com a participação da Vigilância Epidemiológica de São Luís (SVES). O documento possui a ciência e a colaboração das Promotorias de Educação (Ministério Público), do Conselho Municipal de Educação (CME), do Sindicato dos Profissionais do Magistério da Rede Municipal de São Luís (SindEducação) e de representantes das famílias dos alunos. Em paralelo a isso, a Semed ressalta que São Luís é a capital brasileira com a vacinação mais avançada em todo o Brasil e foi a primeira capital do Nordeste a vacinar os profissionais da educação, dando a condição principal para o retorno das aulas presenciais.

Riscos
De acordo com o epidemiologista Antônio Augusto Moura, o retorno das aulas durante um momento de alta transmissão no estado, e sem a imunização de crianças e adolescentes, pode aumentar o número de casos nos mais jovens.

“Neste momento a transmissão da doença no Maranhão ainda é alta ou muito alta, segundo dados da Fiocruz. Como a maioria dos grupos escolares ainda não estão vacinados, o retorno às aulas agora provavelmente vai provocar um aumento da transmissão entre os jovens. É necessário aguardar a amplificação da vacinação e que a transmissão esteja baixa para se indicar o retorno às atividades presenciais”, destacou o epidemiologista.

Na última segunda-feira, 28, o prefeito Eduardo Braide (Podemos), anunciou em entrevista ao GloboNews, pedido de autorização ao Ministério da Saúde para dar início à vacinação em adolescentes de 12 a 17 anos de idade contra a Covid-19 na capital. De acordo com o gestor, isso é possível uma vez que o município já conseguiu aplicar pelo menos a primeira dose de vacina em cerca de 84% da população adulta.

Ele também citou o fato de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter autorizado a utilização da vacina Pfizer em adolescentes a partir de 12 anos no país. Esse público, contudo, ainda não entrou no cronograma do Plano Nacional de Imunização (PNI), porque a maior parte das cidades do país ainda não avançou no processo de vacinação.

Se o Ministério da Saúde conceder a autorização, São Luís pode se tornar a primeira capital do país a vacinar adolescentes desta faixa etária.

SAIBA MAIS

Rede Estadual e Privada

Conforme reportagem de O Estado no último dia 17 de junho, Instituições filiadas ao Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Maranhão (Sinepe) analisam a volta às aulas totalmente presenciais para depois das férias de julho, ou seja, no mês de agosto, mas com a cautela que o tema requer. A informação foi confirmada pelo presidente da entidade, Paulino Pereira. O retorno às aulas presenciais está diretamente relacionado à aceleração do processo de vacinação em São Luís. As aulas nas escolas da rede estadual também deverão ser retomadas em agosto.

Na opinião do secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, o governo estadual e a prefeitura municipal estão trabalhando a contento as estratégias de vacinação. Por essa razão, ela acredita que, no final do mês de julho, será concluída a vacinação de todos os profissionais da Educação, inclusive com a segunda dose. “Nós estamos avançando, também, com a imunização de outros grupos da sociedade. E isto nos motiva a começar a pensar no retorno das aulas presenciais no mês de agosto”, disse.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte