A gente conta... | Álvaro Manuel Caniça Soares - gerente geral

Experiência, conhecimento e gestão

Português, natural de Castelo Branco, desembarcou no Maranhão em 2018 e começou a atuar no ramo da hotelaria, dando continuidade a trabalho que realizava na Europa, onde atuou em vários empreendimentos
Evandro Júnior/ Da equipe de O Estado12/06/2021
Experiência, conhecimento  e gestãoDivulgação

São Luís - Há quatro anos residindo no Maranhão, o português Álvaro Manuel Caniça Soares completará três anos em outubro à frente da Gerência Geral do Brisamar Hotel & SPA, localizado na Ponta d’Areia. Ele desembarcou em São Luís em 2018, pois a esposa, que é maranhense, teve de retornar à terra natal. Com um vasto currículo, o português não demorou a começar a trabalhar na área.

Na verdade, Álvaro Caniça já havia trabalhado em vários hotéis em Portugal, todos muito bem conceituados, entre eles, Algarve, Alvor Praia, Porto Sheraton, Meridien Porto, Vilalara e Júpiter Algarve. Ele também atuou na Suíça, no Badrutt’s Palace e no Beau-Rivage Palace, bem como realizou trabalhos para hóspedes por períodos mais curtos em vários países da Europa. Acostumado a lidar com reis, príncipes, princesas, bilionários e os artistas mais famosos do jet set mundial, o português encarava um novo desafio: compreender e dinamizar o turismo na região Nordeste do Brasil.

“Depois de uma reunião com um dos proprietários do Brisamar Hotel & SPA, fui contratado e comecei a atuar como relações públicas, mas com carta branca para intervir em outros assuntos e departamentos. Iniciei em fevereiro e, em outubro, com a saída da empresa que fazia a gestão, assumi como gerente geral”, conta.
Rapidamente, o português começou a empregar o seu vasto conhecimento na área para melhorar os serviços oferecidos no hotel e tem conseguido com brilhantismo. Apesar da experiência de 40 anos no ramo, no entanto, esta é a primeira vez que ele é obrigado a atuar em uma pandemia, que mudou a rotina de todos os empreendimentos da rede hoteleira no mundo inteiro.
“Gerenciar em um período como este é algo que nem nos meus piores pesadelos pensei que aconteceria. É algo que não estávamos preparados e, ainda hoje, lutamos para nos adaptar. Não é fácil, mas não podemos desistir e precisamos continuar a acreditar que tudo isto passará e vamos sair mais fortes desta situação. Não podemos esquecer nunca do que aconteceu para que, sobretudo, não voltemos a cometer os mesmos erros”, diz.

Segundo ele, o Brisamar Hotel & SPA não precisou interromper ou encerrar suas atividades devido à pandemia do novo coronavírus. “Devido à situação, no entanto, fomos obrigados a ajustar alguns departamentos. Hoje, infelizmente, a taxa de ocupação oscila conforme o que se fala no noticiário da televisão. Lamento dizer, mas cada vez que sai uma notícia ruim, o nosso departamento de reservas é bombardeado pelas mais variadas questões. Nós tivemos um momento muito positivo no início do mês de maio e notamos que junho está um pouco fechado ainda. No dia em que foi dito que era possível termos a variante indiana no Maranhão, tudo mudou para pior”, conta.

O maior desafio, segundo o gerente geral, é evitar demissões ou o fechamento do empreendimento. “Aprendi a ser otimista aqui no Brasil, mas quero também acreditar que o trabalho que realizamos é bem feito e dará frutos. Antes da pandemia, já tínhamos realizado ações de marketing e vendas, o que nos trouxe resultados positivos, mesmo durante a pandemia. O objetivo é não parar, mas acreditar que podemos sempre fazer mais e melhor”, afirma.

Álvaro Caniça conta que sente saudades de Portugal e que perdeu familiares para o novo coronavírus naquele país. “Eu e minha esposa, que é apaixonada por frio, queremos retornar em dezembro, para o Natal. Claro que isso não depende de nós, mas, quem sabe, será desta vez”, diz.

Para o português, o Brasil é um país com um potencial enorme em todos os níveis. No que diz respeito ao Turismo, tem uma força poderosa e consegue se dinamizar sem, necessariamente, depender dos turistas de outros países. “Quando falo do Brasil, claro que incluo o Maranhão, mas o turismo tem de começar a ser visto de um modo que até hoje não foi. O estado precisa se afirmar como destino privilegiado, pois temos muito a oferecer e, para tal, precisamos que o poder público entenda que turismo é algo que beneficia o Maranhão como um todo. Ou seja, não se resume a hotéis”, observa.

Gerenciar em um período como este é algo que nem nos meus piores pesadelos pensei que aconteceria. É algo que não estávamos preparados e, ainda hoje, lutamos para nos adaptar”Álvaro Manuel Caniça Soares - gerente geral

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte