Polícia | Repercussão

Morte de jovem em Porto Franco causa revolta nas redes

Luís Carlos foi encontrado sem vida no Rio Tocantins, familiares e amigos da vítima afirmam que o jovem tinha depressão profunda; Prefeitura da cidade e PRF-MA se posicionaram sobre o assunto
Kethlen Mata/ O Estado07/06/2021 às 09h43
Morte de jovem em Porto Franco causa revolta nas redesO corpo de Luís Carlos foi encontrado morto no Rio Tocantins, Porto Franco (Reprodução)

São Luís – O caso da morte de Luís Carlos Almeida, 19 anos, que na última sexta-feira, 4, teria saído de casa após um surto psicológico e andando cerca de 2 km, totalmente sem roupas, gerou revolta nas redes sociais, durante todo o final de semana. De acordo com amigos e familiares de Luís, a Polícia teria visto toda a situação e não prestado ajuda ao jovem, eles também apontam negligência da Polícia.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Prefeitura Municipal de Porto Franco se posicionaram sobre o ocorrido na cidade. Segundo a PRF, uma equipe de plantão na BR-010 tentou ajudar e prestar auxílio ao rapaz, mas ele teria se recusado a ser atendido.

“Em determinado momento o rapaz entrou em uma área particular e não foi mais visto pelos policiais, pois a escuridão o encobriou”, afirmou nota oficial. A PRF disse ainda, que essa atitude impossibilitou que a equipe ajudasse Luís.

Já a Prefeitura da cidade, divulgou posicionamento oficial, somente neste domingo, 6. A nota disse que assim que tomou conhecimento do caso, entrou em contato com o Comando-Geral do Corpo de Bombeiros solicitando apoio.

“O prefeito Deoclides acompanhou, junto com pessoas da Administração Municipal, familiares e amigos, as providências que foram tomadas para o resgate do corpo”, pontuou a prefeitura.

Na tarde de sábado, 5, o corpo de Luís Carlos foi encontrado sem vida no Rio Tocantins.

Repercussão

Nas redes sociais, muitas pessoas começaram a pedir por “justiça para Luís Carlos”, já que familiares e amigos afirmam que a Polícia foi negligente, já que o viu caminhando pelado até o local da sua morte.

Vale ressaltar, o fato do jovem não ter sido detido por atentado ao pudor. No Brasil, andar pelado pela rua é considerado crime, segundo o artigo 233 do código penal, pois é considerado prática de ato obsceno.

Internautas chegaram a divulgar um vídeo onde um camburão da polícia é visto acompanhando o jovem pelas ruas de Porto Franco. Inclusive, no vídeo, não é possível identificar de qual polícia é o veículo.

O secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (SEDIHPOP), Francisco Gonçalves, se manifestou sobre o caso, neste domingo, 6, ele disse que a SEDIHPOP está acompanhando por meio da Coordenação Estadual da Política LGBT e da Ouvidoria de DH, Igualdade Racial e Juventude, além da Superintendência de Combate à Violência Institucional (SCVI).

Veja alguns dos tweets sobre o caso nas redes:

Nota oficial da PRF-MA:

"Sobre o caso de um homem que caminhava nu durante a noite de sexta-feira (04) no perímetro urbano da cidade de Porto Franco, sudoeste do Maranhão, fato amplamente divulgado em rede social, a assessoria de comunicação da PRF no estado do Maranhão informa o que se segue:

1 - Uma equipe PRF de plantão na BR-010 adentrou a cidade quando tentou ajudar e prestar auxílio ao rapaz, que rejeitava a ajuda da equipe. Ainda assim, mesmo fora da rodovia, os policiais continuaram fazendo 'batedor' para resguardar a integridade física do mesmo.

2 - Em determinado momento o rapaz entrou em uma área particular e não foi mais visto pelos policiais, pois a escuridão o encobriou.

3 - Na impossibilidade de ajudar o rapaz, que negava ser auxiliado, a equipe PRF, considerando que o local é jurisdição da polícia militar, os PRFs tentaram contato com a PM local, mas os policiais militares não puderam deslocar, pois a viatura estaria em outra missão.

4 - Na impossibilidade de ajudá-lo, face a negativa do rapaz e, tendo em vista que o mesmo desapareceu na escuridão, adentrando uma propriedade privada, os policiais realizaram mais algumas buscas a pé, mas não conseguiram localiza-lo na escuridão. Diante disto tomaram rumo à rodovia e retomaram suas atividades de ronda.

A PRF informa que presta centenas de auxílios diariamente em todo o país. No Maranhão, os auxílios aos usuários das sete BRs que cortam o estado oscilam entre 04 a 18 apoios diários. Por outro lado, quando a pessoa não quer ou não aceita ser ajudado, na maioria das vezes os policias não conseguem fazê-lo, como foi o caso narrado acima.

À disposição para maiores esclarecimetnos.

Antonio Noberto

Núcleo de Comunicação Social/SPRF-MA"

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte