Cidades | Avanço

94% das cidades atingiram meta de redução da Malária

Nenhum óbito pela doença foi registrado em 2020 no Maranhão; SES notificou 570 casos de Malária ano passado
Kethlen Mata/ O Estado04/05/2021
94% das cidades atingiram meta de redução da MaláriaFêmea do mosquito Anopheles transmite a malária, por meio de protozoário parasita que a infecta (Divulgação)

São Luís –

Dos 217 municípios maranhenses, 205 (94%) cumpriram o Plano de Eliminação da Malária em 2020, apenas 12 localidades não atingiram o objetivo. Em âmbito estadual, Maranhão e Roraima foram os únicos a atingirem a meta de tratamento iniciados em tempo oportuno. Esses são indicadores do Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQA-VS), que permite avaliar a oportunidade de entrega do tratamento antimalárico, contribuindo para a redução da transmissão, morbidade e mortalidade pela doença.

Atualmente, Programa Nacional de Prevenção e Controle da Malária (PNCM), trabalha numa proposta de plano que abrange todas as espécies de plasmódios presentes no Brasil. Objetivo é a redução de 90% dos casos até 2030, com percentuais anuais, e a eliminação em todo o território nacional até 2035.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), houve uma queda de 8% no número de casos de Malária em 2020, se comparado com o ano de 2019, quando foram registrados 570 e 615 casos, respectivamente. Houve um óbito em 2019 e nenhum no ano passado (2020).

A pasta informou ainda, que segundo dados do Núcleo de Controle de Endemias do Estado, as cidades com maior incidência da doença são: Jenipapo dos Vieiras, Grajaú, e também incidência de casos de malária nas Unidades Regionais de Saúde de Santa Inês, Pinheiro e Zé Doca.

“Por ser uma região endêmica, a Secretaria realiza ações de combate da doença no estado como, por exemplo, borrifação intradomiciliar (na localidade de alta transmissão); mosquiteiro Impregnado de Inseticida (em área de alta transmissão); e vigilância epidemiológica permanente dos municípios (exames de gota espessa oportuna; tratamento precoce e imediato dos casos positivos)”, afirmou a SES, em nota para O Estado.

Situação do Brasil

No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 99% dos casos de Malária no país estão concentrados na região Amazônica, nos estados do Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Em 2020, foram notificados 140.974 casos da doença no país, redução de 10,5% em relação ao ano de 2019, quando foram notificados 157.454 casos. No entanto, os números ainda representam cenário de alerta, principalmente na região Amazônica.

Apesar da redução nos casos de malária, no ano passado, o país registrou aumento de 32,6% nos casos por Plasmodium falciparum, espécie causadora de formas graves da doença. O P. vivax é a espécie mais prevalente, responsável por mais de 80% dos casos de malária no país.

No último dia 25 de abril, foi celebrado o do Dia Mundial da Malária, na ocasião o Ministério da Saúde lançou a campanha para orientar a população e os profissionais de saúde sobre a doença, com recomendações para o diagnóstico e tratamento no tempo recomendado, evitando casos graves e óbitos.

SAIBA MAIS

O que é Malária?

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, causada por protozoários transmitidos pela fêmea infectada do mosquito Anopheles. Toda pessoa pode contrair a malária. Indivíduos que tiveram vários episódios de malária podem atingir um estado de imunidade parcial, apresentando poucos ou mesmo nenhum sintoma. Porém, uma imunidade esterilizante, que confere total proteção clínica, até hoje não foi observada. Caso não seja tratado adequadamente, o indivíduo pode ser fonte de infecção por meses ou anos, de acordo com a espécie parasitária.

A malária não é uma doença contagiosa, ou seja, uma pessoa doente não é capaz de transmitir a doença diretamente a outra pessoa, é necessária a participação de um vetor, que no caso é a fêmea do mosquito Anopheles (mosquito prego), infectada por Plasmodium, um tipo de protozoário. Estes mosquitos são mais abundantes nos horários crepusculares, ao entardecer e ao amanhecer. Todavia, são encontrados picando durante todo o período noturno, porém em menor quantidade.

A malária é uma doença que tem cura e o tratamento é eficaz, simples e gratuito. Entretanto, a doença pode evoluir para suas formas graves se não for diagnosticada e tratada de forma oportuna e adequada.

Sintomas da Malária

  • febre alta;
  • calafrios;
  • tremores;
  • sudorese;
  • dor de cabeça, que podem ocorrer de forma cíclica.
Possíveis complicações da Malária

  • prostração;
  • alteração da consciência;
  • dispnéia ou hiperventilação;
  • convulsões;
  • hipotensão arterial ou choque;
  • hemorragias;
  • Entre outros.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte