Política | Covid-19

Consórcio que o MA faz parte deve ampliar contatos em busca de outras vacinas

Consórcio Brasil Central, composto pelo Maranhão e por Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Rondônia, além do Distrito Federal, deve ampliar contatos em busca de outros imunizantes.
Thiago Bastos/ Da Editoria de Política27/04/2021 às 15h06
Consórcio que o MA faz parte deve ampliar contatos em busca de outras vacinasAnvisa não liberou a importação da vacina da Rússia para ser comprada por governadores (Reprodução)

Com a decisão da Anvisa que não recomendou a importação da Sputnik V, o Consórcio Brasil Central, composto pelo Maranhão e por Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Rondônia, além do Distrito Federal, deve ampliar contatos em busca de outros imunizantes. A informação foi repassada a O Estado pela direção do Consórcio.

De acordo com o Consórcio BrC, esses contatos deverão ser intensificados, tendo em vista a ausência de recomendação para a importação da Sputnik V. O Consórcio interpreta a decisão do STF que os estados, se assim quiserem, podem importar a vacina russa mesmo sem a autorização da Anvisa.

No entanto, a tendência é que isso não ocorra, pelo menos por ora. O Maranhão, desde 2019, integra este Consórcio e está ainda no Consórcio Nordeste, em busca de vacinas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte