Opinião | Artigo

Parabéns, mãe Terra!

Gilmar Silvério da Silva *22/04/2021

Em 1972, autoridades, cientistas e intelectuais lançaram o livro “limits to Growth”. Nele manifestou-se a preocupação com o futuro do planeta Terra e da humanidade destacando a finitude dos recursos naturais. No outro lado do Atlântico, pressões populares e democráticas, lideradas pelo senador americano Gaylord Nelson, engendraram novas leis, criadas para proteger o meio ambiente, além da importante agência ambiental americana, a EPA. Ainda em 1972, ocorreu a pioneira conferência internacional sobre ambiente, a Conferência de Estocolmo. Esta conferência foi um marco para o direito ambiental, pois reconhecia o direito do homem a um ambiente equilibrado e saudável. Após duas décadas, no Rio de Janeiro, ocorreu a Eco-92. Estes são alguns eventos que demonstram o nascimento e a consolidação da consciência ambiental no planeta. Hoje é raro não se deparar com reportagens e debates nas diferentes mídias abordando a preservação das florestas, a qualidade das águas, o aquecimento global. A relevância ambiental tomou tal envergadura que integra a agendo dos governos e influencia a dinâmica da economia e do comércio global. Destes movimentos pioneiros, surgiram o conceito de sustentabilidade, ou seja, a adoção de modelos de desenvolvimento que garantam às gerações futuras o acesso aos bens naturais que hoje desfrutamos.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

Assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte