Alternativo | Cinema

Festival Sesc Melhores Filmes anuncia vencedores

"Pacarrete", de Allan Deberton, e "Retrato de Uma Jovem Em Chamas", de Céline Sciamma, foram destaques nas premiações tanto da crítica quanto do público
15/04/2021 às 11h05
Festival Sesc Melhores Filmes anuncia vencedoresCena de "Babenco - Alguém tem que ouvir o coração dizer: Parou", de Bárbara Paz (Divulgação)

São Paulo - Na noite desta quarta-feira, 14 de abril, o ator Silvero Pereira anunciou ao vivo, no canal do CineSesc no Youtube, os filmes e artistas eleitos pelo júri especializado e pelo voto popular do 47º Festival Sesc Melhores Filmes. Com a cerimônia digital, o mais longevo festival de cinema de São Paulo abriu a programação de filmes que foram destaques em 2020. Essas produções serão exibidas gratuitamente na plataforma do Sesc Digital até o dia 5 de maio. Além disso, o evento também proporciona ao público encontros e atividades com realizadores e pensadores do cinema.

Tanto júri especializado quanto a votação popular elegeu "Pacarrete", de Allan Deberton, o melhor filme nacional, e sua protagonista, Marcélia Cartaxo, a melhor atriz do país em 2020. O filme também foi escolhido pelos dois corpos de jurados como o melhor roteiro, criado por Allan Deberton, André Araújo, Natália Maia e Samuel Brasileiro. Já na categoria internacional, público e críticos concordaram que o francês "Retrato de Uma Jovem Em Chamas" foi a melhor produção estrangeira do último ano, assim como sua realizadora, Céline Sciamma, recebeu o título de melhor direção estrangeira.

O longa-metragem "M-8 - Quando a Morte Socorre a Vida" conquistou dois títulos pelo voto do público: melhor direção nacional para Jefferson De e melhor ator nacional para o protagonista Juan Paiva. Os espectadores elegeram "Babenco - Alguém tem que ouvir o coração dizer: Parou", de Bárbara Paz, o melhor documentário brasileiro. "Pacarrete", mais uma vez chama atenção do júri popular quando o tema é melhor fotografia, de Beto Martins. Já os títulos de melhor atriz estrangeira e melhor ator estrangeiro ficaram para Scarlett Johansson (Jojo Rabbit) e Willem Dafoe (O Farol), respectivamente.

A crítica também escolheu Willem Dafoe como melhor ator estrangeiro, mas o prêmio de melhor atriz ficou para Adèle Haenel, de "Retrato de Uma Jovem Em Chamas". Nas categorias nacionais, o júri especializado elegeu Geraldo Sarno como melhor diretor nacional pelo longa "Sertânia", que também recebeu o título de melhor fotografia para o profissional Miguel Vassy; Irandhir Santos como melhor ator do país, por sua atuação na produção "Fim de Festa"; e, também de acordo com o voto popular, melhor documentário para "Babenco - Alguém Tem Que Ouvir o Coração e Dizer: Parou", de Bárbara Paz.

Para esta edição online, a equipe do CineSesc preparou um recorte com alguns dos filmes mais votados. O público poderá ver e rever títulos como o documentário da "Macedônia do Norte Honeyland", de Tamara Kotevska e Ljubomir Stefanov, o drama francês "Retrato De Uma Jovem Em Chamas", de Céline Sciamma, o britânico "Você Não Estava Aqui", de Ken Loach, e o franco-belga "O Jovem Ahmed", de Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, além dos nacionais "Três Verões", de Sandra Kogut, "Sertânia", de Geraldo Sarno, "Fim de Festa", de Hilton Lacerda, "Pacarrete", de Allan Deberton, e o documentário "Babenco - Alguém Tem Que Ouvir O Coração E Dizer: Parou", de Bárbara Paz. Eles estarão disponíveis on demand por 24h, uma semana ou até o término do festival, na plataforma Sesc Digital (sescsp.org.br/cinemaemcasa). Parte dos filmes exibidos possui recursos de acessibilidade, com legendas open/close caption, libras e audiodescrição, disponíveis via app MovieReading.

Além dos filmes mais votados de 2020, o festival presenteia o público com sessões especiais de clássicos premiados em edições passadas, como o alemão "A Vida dos Outros" (2006), de Florian Henckel von Donnersmarck, o inglês "Segredos e Mentiras" (1996), de Mike Leigh, e o francês "Meu Tio da América" (1980), de Alain Resnais. Apresenta também uma homenagem à atriz brasileira Marcélia Cartaxo, eleita melhor atriz nacional pela categoria popular e pela crítica, com a exibição dos filmes "A História da Eternidade" (2015), de Camilo Cavalcante, e "A Hora da Estrela" (1985), de Suzana Amaral, vencedor do Festival de Cinema de Berlim, com os prêmios da Confederação Internacional de Cinemas de Arte e o Urso de Prata de Melhor Atriz para Marcélia.

Na Faixa Especial Abril Indígena, são exibidos os filmes brasileiros "Serras da Desordem" (2006), de Andrea Tonacci, e Martírio, (2017), de Vincent Carelli, Tatiana Almeida e Ernesto de Carvalho - também premiados nos Melhores. O projeto Abril Indígena integra o Programa Diversidade Cultural do Sesc São Paulo, que aborda questões relativas aos povos originários, com objetivo de valorizar e difundir a diversidade cultural no Brasil.

O festival também promove uma série de atividades paralelas com pensadores e profissionais do cinema que se reúnem para debater temas importantes e atuais na sociedade e no audiovisual, nos encontros on-line: Cinema Negro em Várias Telas; Histórias Indígenas e o Brasil em Ruínas; Cinema Nordestino Contemporâneo: Uma Só Identidade?; e A Fotografia no Cinema: Sertânia e Pacarrete. O CineSesc ainda oferece um curso prático gratuito sobre Podcasts de Cinema. Confira a programação completa.

PREMIAÇÃO

VOTO POPULAR

Melhor Filme Nacional: Pacarrete

Melhor Direção Nacional: Jeferson De (M8 - Quando a morte socorre a vida)

Melhor Atriz Nacional: Marcélia Cartaxo (Pacarrete)

Melhor Ator Nacional: Juan Paiva (M8 - Quando a morte socorre a vida)

Melhor Documentário: Babenco - Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou

Melhor Roteiro: Pacarrete (Allan Deberton, André Araújo, Natália Maia e Samuel Brasileiro)

Melhor Fotografia: Beto Martins (Pacarrete)

Melhor Filme Estrangeiro: Retrato de uma jovem em chamas

Melhor Direção Estrangeira: Céline Sciamma (Retrato de uma jovem em chamas)

Melhor Atriz Estrangeira: Scarlett Johansson (Jojo Rabbit)

Melhor Ator Estrangeiro: Willem Dafoe (O farol)

VOTO DA CRÍTICA

Melhor Filme Nacional: Pacarrete

Melhor Direção Nacional: Geraldo Sarno (Sertânia)

Melhor Atriz Nacional: Marcélia Cartaxo (Pacarrete)

Melhor Ator Nacional: Irandhir Santos (Fim de festa)

Melhor Documentário: Babenco - Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou

Melhor Roteiro: Pacarrete (Allan Deberton, André Araújo, Natália Maia e Samuel Brasileiro)

Melhor Fotografia: Miguel Vassy (Sertânia)

Melhor Filme Estrangeiro: Retrato de uma jovem em chamas

Melhor Direção Estrangeira: Céline Sciamma (Retrato de uma jovem em chamas)

Melhor Atriz Estrangeira: Adèle Haenel (Retrato de uma jovem em chamas)

Melhor Ator Estrangeiro: Willem Dafoe (O farol)

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte