Cidades | Subnotificação

14 bairros de São Luís registram apenas um caso de Covid-19

O Estado visitou o bairro Vinhais Velho para entender o motivo do número baixo de registros na área; pode haver subnotificação de casos; na capital, mais de 15 bairros não registraram casos da doença, até o momento
Kethlen Mata/ O Estado08/04/2021
Vinhais Velho teria apenas um caso de Covid, conforme monitoramento da SES

São Luís – De acordo com dados disponibilizados pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), a capital possui 14 bairros que registraram, até então, apenas um caso de Covid-19. Nesta quarta-feira, 7, O Estado foi a campo no Vinhais Velho – um dos bairros que apresentam somente um caso – e conversou com moradores para entender a situação da doença na área, e logo foi verificado que houve outros casos de infecção pelo novo coronavírus na região, sinalizando que há forte subnotificação na localidade.

O bairro Alameda dos Sonhos, Conjunto São Marcos, Coqueiro, Mato Grosso, Piquizeiro, Planalto Anil IV Centauro, Planalto Turu III, Recanto dos Nobres, Residencial Esperança, Santa Eulália/Vila Independente, Tajaçuaba, Vila Cruzado, e a Vila Dom Luís, Vila Menino Jesus de Praga/Cohaserma/Planalto do Calhau /Vinhais V, são as áreas listadas pela prefeitura de São Luís, levando em conta que esse número foi atualizado pela última vez na terça-feira, 6.

Em nota, a Semus informou que, até o momento não identificou qualquer bairro ou região em São Luís sem a incidência de casos da doença. Disse ainda, que os dados estão sendo constantemente atualizados pelo Município e que, portanto, este quadro está sujeito diariamente a alterações.

Divergência de dados

O Estado também perguntou para a Secretaria de Estado da Saúde (SES), se em São Luís – apenas o município, com exceção das outras cidades que compõem a região metropolitana – há alguma localidade sem registros da doença. A pasta informou em nota, que 18 localidades do município de São Luís não apresentam casos notificados da Covid-19, até então.

Os bairros informados pela SES são: Boa Morada, Conjunto Habitar, Conjunto Residencial Jeniparana, Ilha Bela, Japão, Jardim América Central, Jardim Monterey/Vinhas Velho, Jardim São Raimundo, Loteamento Valean, Loteamento Vinhais, Matões, Parque Guanabara, Parque Olinda/Vila Roseana, Primavera-Coroado, Residencial Turquesa, Sítio José, Vinhais III e IV.

Contudo, o bairro Vinhais Velho está listado com um caso registrado, no próprio monitoramento da SES, atualizado pela última vez na terça-feira, 6, às 18h21.

Moradora, porém, aponta pelo menos três casos da doença, o que alerta para subnotificação

Moradores do bairro

A aposentada de 66 anos, Diva Rodrigues, mora há 12 anos no Vinhais Velho e segundo ela nunca houve doentes da Covid-19 no bairro. “Aqui graças a Deus, ninguém nunca teve”, afirmou. Quando perguntada do porquê, ela respondeu que não sabe ao certo, mas sempre vê todos de máscara. “Não sei. Aqui todo mundo usa máscara, eu mesma não tiro, às vezes coloco a comida no fogo, vou provar e a máscara está na cara, mas não tiro”. Dona Diva vai tomar a primeira dose da vacina contra a Covid-19 na sexta-feira, 9.

Já Marlene Marques, 81, também aposentada, nasceu na localidade e é vizinha da Diva, deu uma opinião diferente. Ela acredita que só foi registrado um caso na área porque o clima de lá é bom e a região é muito aberta. “Aqui só morreu mesmo uma pessoa, e pegou no hospital, foi o pai do meu genro. Ele foi com problema de coração e lá pegou Covid”, contou. Mas Marlene se contradisse, segundos depois afirmar que apenas uma pessoa teve a doença no bairro, ela comentou que uma prima sua também contraiu o vírus.

"Passou um tempão internada, daí ficou boa, mas fez uma cirurgia no coração e morreu”, disse. A senhora também foi questionada sobre ter tido Covid-19, e para surpresa da reportagem, ela também já ficou doente pelo coronavírus.

“Já tive, mas a minha foi fraca, só fui lá na UPA. Tenho uma filha de criação que me mandou o nome dos remédios, eu tomei tudo direitinhoMarlene Marques, 81 anos

Na fala de Marlene, já foi possível contar mais duas pessoas que tiveram a Covid-19, além do um caso confirmado pela SES no monitoramento atualizado no dia 6 que difere da nota oficial enviada para O Estado, na manhã de ontem, 7.

Subnotificação

Em entrevista, o infectologista Fabrício Pessoa, explicou que alguns estudos já mostram que algumas áreas possuem um maior risco de transmissão do vírus. “Próximo a serviços de saúde, locais onde há uma maior exposição, porém isso é muito relativo. Eu acredito que o grande problema da nossa realidade é a subnotificação”, esclareceu o médico.

Segundo Fabrício, existem lugares em São Luís, que não tem uma cobertura de saúde completa e que inclua os cuidados necessários. “A população tende a procurar serviços de saúde quando já estão em uma situação de gravidade e de plena doença avançada”, frisou. Para ele, isso de certa forma, reflete sobre o número de notificações baixas.

Então não são notificados os casos moderados, ou até mesmo os casos leves. Muitas pessoas se automedicam e não procuram assistência médica adequada. A gente tem um grave problema de subnotificação no país, então isso reflete na nossa realidade, não acredito que seja porque uma determinada área é menos influenciada ou nãoFabrício Pessoa, infectologista

Ainda de acordo com a nota da SES, foi informado que dez bairros de São Luís apresentam apenas um caso notificado, segundo o Painel de Monitoramento da Covid-19. “Isto acontece visto que grande parte dos pacientes busca atendimento sem documento de comprovação de residência, sendo assim, no ato de registro do caso confirmado, a unidade notificadora insere a informação do paciente no bairro principal da localidade a qual reside”, explicou a secretaria.

Números

14 bairros com apenas um caso confirmado (Segundo a Semus)

10 bairros com apenas um caso confirmado (Segundo a SES)

18 bairros com zero casos de Covid-19 (SES)

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte