Política | Arrecadação

Governo: consultoria de R$ 3,5 mi na Sefaz foi marco de inovação

Na quarta-feira, 16, O Estado mostrou que o Governo do MA gastou mais de R$ 3,5 mi em contrato de consultoria para melhorar o sistema fiscal da Sefaz
18/02/2021

O Governo do Estado afirmou por meio de nota que o contrato de consultoria da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) revelado por O Estado na edição de quarta-feira, que custou mais de R$ 3,5 milhões aos cofres públicos e tinha por objetivo aumentar a arrecadação de impostos no Maranhão, foi um “marco de inovação e avanço tecnológico reconhecido a nível nacional”.
A consultoria desenvolveu o sistema web do Processo Administrativo Fiscal Eletrônico (PAF-e) da Sefaz. Segundo a pasta, por um custo/benefício “amplamente favorável” aos cofres do estado.
“O projeto de consultoria para desenvolvimento do Processo Administrativo Fiscal Eletrônico (PAF-e) da Sefaz-MA é um marco de inovação e avanço tecnológico reconhecido a nível nacional, com um custo/benefício amplamente favorável aos cofres estaduais por permitir uma redução do custo da administração tributária, ampliar o potencial da arrecadação tributária e melhorar o atendimento aos contribuintes”, destaca o início da nota.
“Com a evolução do PAF-e os complexos processos de consulta, restituição, fiscalização e julgamento administrativo de autos de infração, que tramitavam internamente em processos físicos e acompanhados presencialmente pelos contribuintes, migraram para um ambiente eletrônico capaz de permitir o acompanhamento dos processos em tempo real e a qualquer momento pela internet, serviço que se tornou mais essencial em tempos de pandemia e restrições à mobilidade social”, completa o texto.
De acordo com a Sefaz, há hoje melhor desempenho na receita do Estado. A pasta informa que “os resultados da arrecadação justificam o valor no investimento da consultoria”.
“A análise, o mapeamento, o desenvolvimento, a construção e a implantação de todos esses processos em uma plataforma eletrônica, sem interrupção das atividades normais de trabalho que pudesse prejudicar a arrecadação estadual, demanda tempo, razão pela qual o projeto durou 5 anos, tendo um segundo aditivo apenas de prazo, sem acréscimos de custos para a Administração Pública. Todos os avanços de modernização que a Sefaz implantou nos últimos anos ampliaram a capacidade do trabalho da administração tributária na gestão do principal imposto do Estado, o ICMS, responsável pela arrecadação de R$ 8,1 bilhões em 2020”, enfatiza a nota.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

Assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte