Política | Ação

Eliziane segue orientação de Dino e trabalha no Senado contra decretos de armamento

Senadora propôs no Senado a criação de uma Frente Parlamentar pelo Desarmamento
Ronaldo Rocha / Da Editoria de Política16/02/2021 às 10h59
Eliziane segue orientação de Dino e trabalha no Senado contra decretos de armamentoSenadora Eliziane Gama se coloca contra facilidade de adquirir armas por cidadãos (Reprodução)

BRASÍLIA - Senadora maranhense se manifestou contra decretos de Jair Bolsonaro que facilitam acesso a armas de fogo após crítica de Dino e quer criar grupo de trabalho no Senado

A senadora Eliziane Gama (Cidadania) se manifestou contra decretos apresentados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, que facilitam o acesso a armas de fogo no país, corroborou com a tese do governador Flávio Dino (PCdoB) contra as medidas e propôs no Senado a criação de uma Frente Parlamentar pelo Desarmamento.

Ela entende que a medida de Bolsonaro pode provocar o aumento da criminalidade no país, por isso a reação na Casa.

“O Presidente insiste em sua trama, a de querer transformar o Brasil em uma praça de guerra. Em dois anos, o número de armas legais em mãos das pessoas saltou de pouco mais de 600 mil para perto de 1 milhão e 200 mil. Um desvario completo. Agora, divulga novos decretos permitindo uma derrama desses instrumentos de morte em nosso país. Uma irresponsabilidade completa com a qual o Congresso não pode concordar. Os brasileiros precisam de mais concórdia, tolerância, amor e vacina, não de violência e armas”, disse.

Gama apelou para que o Congresso se posicione contra o aumento do armamento legal no país.

“Apresentamos projeto de Resolução para criar a Frente Parlamentar pelo Desarmamento. Vamos propor um amplo debate com a sociedade civil, órgãos de segurança e parlamentares para mostrar que liberar armas não é solução para garantir segurança ao cidadão”, finalizou.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte