Política | Megavazamento

Flávio Dino teve fotos armazenadas em banco de dados de hackers

Arquivos do governador foram encontrados em banco de dados do megavazamento acontecido em janeiro
José Linhares Jr / Da Editoria de Política09/02/2021 às 09h21
Flávio Dino teve fotos armazenadas em banco de dados de hackersGovernador foi nome mais proeminente encontrado em banco de dados vazado em janeiro (Reprodução)

SÃO LUIS - No fim de janeiro foi noticiado o vazamento de dados de 223 milhões de CPFs. O episódio está sendo considerado o maior vazamento da história do Brasil. Entre os arquivos estavam pastas que traziam fotos de rosto de mais de 1 milhão de faces. Entre elas a do governador maranhense Flávio Dino. Indícios apontam que as imagens são públicas e não pertencem a uma base de dados fechada.

Análise do Estadão, em parceria com a empresa de cibersegurança Syhunt, detectou que as imagens contidas nas amostras são de candidatos a cargos políticos (vereador, deputado, prefeito e governador). As fotos são as mesmas utilizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em sua plataforma DivulgaCand, que permite aos eleitores pesquisar candidatos durante as eleições.

A análise consistiu na escolha aleatória de fotos de cada uma das pastas. Todas eram de candidatos e podiam ser encontradas no site do TSE. Não há padrão de distribuição: há candidatos a vereadores em cidades em todas as regiões do Brasil. O mesmo vale para candidatos a deputado estadual e federal. Há também nomes eleitos e não eleitos.

Entre os políticos, o mais popular descoberto na análise foi o do governador maranhense Flávio Dino (PCdoB). Há fotos dele nas pastas de 2014 e 2018.

As bases de dados do megavazamento que expôs 223 milhões de CPFs, 40 milhões de CNPJs e 104 milhões de registros de veículos. Dividido em duas bases de dados: uma com informações básicas de 223 milhões de brasileiros (inclusive de pessoas mortas) contendo nome completo, CPF, data de nascimento e sexo. Esses dados estão disponíveis gratuitamente em sites de compartilhamento de arquivos.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte