A gente conta... | Identidade

Quebrando preconceitos para assumir a identidade de gênero

Uma é professora de Inglês e a outra, jogadora de vôlei; ambas nasceram homens, mas decidiram assumir a sua verdadeira identidade
Evandro Júnior / Da equipe de O Estado30/01/2021

São Luís - Muitas empresas têm se preocupado em preencher vagas com os mais diferentes perfis. No entanto, quando se trata dos trans, nem todas estão na prática empregando. Segundo a professora trans Yanna Rhamissy, que ministra aulas em um curso de idiomas em São Luís, há muito discurso, mas pouca coisa acontece na prática. “Principalmente quando se trata de educação. Ou seja, quando uma pessoa trans decide transmitir conhecimento, é tudo bem mais complicado, devido ao preconceito da sociedade”, afirma Yanna Rhamissy.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

Assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte