Cidades | Saúde

Período chuvoso aumenta riscos de contaminação por Covid-19

Infectologista alerta sobre o fato de que, neste período, as pessoas tendem a procurar ambientes fechados e aglomerados
Evandro Júnior / O Estado24/01/2021 às 09h29
Período chuvoso aumenta risco de contaminação pelo novo coronavírus

São Luís - Os últimos dias têm sido de chuvas na capital maranhense, o que exige mais cuidados para evitar o contágio de doenças infectocontagiosas, como o novo coronavírus. É que, quando está chovendo, a probabilidade de as pessoas se aglomerarem em ambientes fechados aumenta. Na Rua Grande, maior centro comercial de São Luís, consumidores se protegem da chuva se aglomerando em lojas e debaixo de marquises.

De acordo com o infectologista Fabrício Silva Pessoa, no período chuvoso, o fato de as pessoas se exporem em ambientes fechados e pouco ventilados, e até mesmo com ar condicionado, implica em risco da transmissão no novo coronavírus.

“Por essa razão, recomendamos sair somente se houver necessidade nesta época, levando máscara e passando álcool constantemente. Leve mais de uma máscara, pela necessidade de troca. Promova o distanciamento social e sempre se policie, já que esses ambientes coletivos, sem ventilação, se tornam locais perigosos a partir desse ponto de vista”, frisou Fabrício Pessoa.

Com o aumento das precipitações e a grande quantidade de pessoas nas ruas, cenas de aglomerações têm sido uma constante. É o caso da Rua Grande, onde, diariamente, milhares de pessoas caminham lado a lado e, em dias chuvosos, se aglomeram dentro de lojas para não se molhar.

Fabrício Pessoa é infectologista

Outras doenças
O infectologista chamou a atenção, também, para o fato de que este período de precipitações mais constantes aumenta também a probabilidade de se contrair outras doenças infectocontagiosas, que podem ser transmitidas pelo contato com a água de áreas alagadas e transbordamento de esgotos e rios. Nessas situações, há a presença de diversas bactérias e vírus nocivos à saúde humana.

A leptospirose, por exemplo, ocorre depois do contato com a urina de ratos contaminados com a bactéria leptospira, e que figura entre as principais enfermidades nessas situações. “Em contato com a pele humana, por meio das águas de inundação, a bactéria pode penetrar no organismo e causar sintomas como febre, dores de cabeça e nos músculos e náuseas. Quando não tratada com antecedência, a leptospirose pode levar à morte”, explicou Fabrício Pessoa.

Os sinais da doença podem aparecer no dia seguinte após o contato com a água da de chuva ou até depois de um mês. Os primeiros sintomas podem ser febre, dores na cabeça e no corpo, principalmente na panturrilha. Na ausência de tratamento de urgência, alguns casos podem ser mais graves, provocando riscos de insuficiência renal com sangramento nos pulmões.

Outra doença muito comum nesta época do ano é a dengue, bastante conhecida pela população brasileira e que faz parte dos problemas de saúde pública no país há muito tempo, além de ter muitas variações. Segundo os infectologistas, é preciso estar atento, pois em áreas com água acumulada, suas chances de proliferação aumentam, tornando-se um risco ainda maior para as pessoas. Os sintomas são muitos e vão desde febre alta e dores musculares até manchas vermelhas e hemorragias.

As viroses também são doenças causadas por vírus que ocorrem com freqüência no período chuvoso. Os sintomas mais comuns são febre, diarreia, dores nas articulações, dor de cabeça e vômito. Apesar de durarem apenas alguns dias, as viroses precisam de atenção, pois causam desidratação e são muito comuns em épocas chuvosas, quando o tempo fica mais abafado ou as águas ficam contaminadas.

Como se prevenir?

  • - Evite locais fechados e aglomerados
  • - Saia comente com a máscara
  • - Leva álcool em gel para passar todas as vezes que tocar em objetos
  • - Evite tocar em pessoas
  • - É importante estar atento às formas de prevenção, que podem minimizar as probabilidades de contaminação.
  • - Evite poças de água contaminada e jogue fora alimentos e objetos que tenham entrado em contato com ela;
  • - Certifique-se de que a sua casa está livre de regiões com água acumulada e parada;
  • - Lave bem os alimentos e objetos da sua casa;
  • - Evite contato com lama;
  • - Capriche na ingestão de água e alimentos que ajudam na hidratação, como frutas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte