Imunização

Campanha de vacinação contra a Covid deve começar na quarta-feira

Previsão é do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello; segundo ele, a distribuição da vacina aos estado começa às 7h de segunda-feira

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h17
Ministro da Saúde falou sobre vacinação contra a Covid-19 em entrevista à imprensa
Ministro da Saúde falou sobre vacinação contra a Covid-19 em entrevista à imprensa (Eduardo Pazuello)

Rio - O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello afirmou que o governo federal começa nesta segunda-feira, às 7h, a distribuição de vacinas contra a Covid-19 para todos os estados. Ele também previu o início da campanha para quarta-feira, às 10h, durante entrevista à imprensa no Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into) no Rio de Janeiro. Segundo o ministro, a distribuição será feita pela FAB a "pontos focais" definidos por cada estado.

"Está dado o primeiro passo para o início da maior campanha de vacinação do mundo contra o coronavírus", afirmou, referindo-se à aprovação da Coronavac e a de Oxford/AstraZeneca pela Anvisa.

"Poderíamos, num ato simbólico ou numa jogada de marketing, iniciar a primeira dose em uma pessoa, mas em respeito a todos os governadores, prefeitos e todos os brasileiros, o Ministério da Saúde não fará isso", acrescentou o ministro. Ele afirmou que a aplicação da primeira dose da vacina em São Paulo é "uma questão jurídica".

"Todas as vacinas produzidas pelo Butantan estão contratadas de forma integral e de forma exclusiva para o Ministério da Saúde e para o PNI, todas, inclusive essa que foi aplicada agora. Isso é uma questão jurídica. Não vou responder agora, porque a Justiça que tem que definir. Como foi feita a entrega sem ter feito a liquidação nos nossos depósitos, para depois para a distribuição para o estado", afirmou Pazuello.

Pazuello disse que as 6 milhões de doses do Butantan serão distribuídas proporcionalmente aos estados. "Qualquer movimento fora desta linha está em desacordo com a lei. Ministério da Saúde vem trabalhando junto com o Butantan pelo desenvolvimento da vacina desde o início. Ttudo o que foi comprado no Butantan, todas as vacinas, foi com recursos do SUS", disse.

O ministro afirmou ainda que os cuidados contra a transmissão da Covid-19 não devem ser interrompidos "em hipótese alguma", apesar do início da vacinação.

"Volto a dizer: não podemos em hipótese alguma relaxar as medidas preventivas. Uso de máscara, álcool em gel na mão, distanciamento social - situações como esta que estamos, por exemplo [entrevista coletiva]... [Evitar] aglomerações... As empresas e estabelecimentos que têm autorização para trabalhar e devem trabalhar, a economia não deve parar, elas devem ter as medidas de cuidados muito claras".

Com informações do G1

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.