DOM | Alimentação

Apenas 3% dos alimentos destinados às crianças são saudáveis, afirma estudo

Pesquisa identificou que poucos produtos voltados ao público infantil trazem benefícios para a saúde; a grande maioria contribui, principalmente, para a obesidade
10/01/2021 às 07h00
Apenas 3% dos alimentos destinados às crianças são saudáveis, afirma estudoDivulgação

Paraná - A rotina agitada do dia a dia contribui para que os alimentos industrializados e prontos para consumo sejam uma opção no cardápio, inclusive das crianças. Apesar da grande variedade, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que a maioria dos alimentos e bebidas para crianças concentra, principalmente, itens ricos em gordura, açúcar ou sal, identificados como fatores de risco que contribuem para a obesidade infantil.

Neste cenário, uma pesquisa realizada pela Universidade Miguel Hernández, na Espanha, estudou alimentos disponíveis no mercado destinados às crianças e verificou que 97% deles não são saudáveis.

A análise concluiu que os produtos possuíam fraca presença de proteínas e fibras, com baixa qualidade nutricional, em comparação com os alimentos que não eram voltados para crianças e adolescentes. A pesquisa verificou, ainda, que 62% dos produtos eram ricos em gordura, 59% em açúcares e 45% em gordura saturada e sal.

Segundo a engenheira de alimentos Erika de Almeida, a alimentação infantil saudável traz uma série de benefícios, a curto e longo prazos. “Incluir alimentos saudáveis nas refeições das crianças e adolescentes auxilia no desenvolvimento intelectual e no crescimento adequado para a idade. Os nutrientes ainda contribuem para impedir o desenvolvimento de doenças como anemia, obesidade, colesterol alto e hipertensão, por exemplo, que antes eram mais comuns no universo adulto, mas que estão cada vez mais presentes na realidade infantil”, explica a analista de Pesquisa e Desenvolvimento da Jasmine Alimentos, empresa especializada em alimentos saudáveis.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte