Esporte | Meta definida

Sampaio precisa embalar para alcançar "pontuação mágica" no Brasileiro

Com 45 pontos, e a quatro do G-4, a Bolívia Querida precisará de seis vitorias, nos próximos sete jogos, para alcançar média de acesso nos últimos anos na Série B, que é de 63 pontos
Eduardo Lindoso/ Editor de Esportes 30/12/2020
Sampaio precisa embalar para alcançar "pontuação mágica" no Brasileiro Sampaio vive momento ruim nesta Série B e vai buscar reação (Lucas Almeida / Sampaio Corrêa)

SÃO LUÍS - Se ainda sonha com o acesso à Série B, o Sampaio Corrêa precisa pegar a calculadora e começar a fazer contas, além de melhorar seu futebol em campo, lógico. Há cinco partidas sem vencer, e a quatro pontos do G-4 neste momento, a Bolívia Querida vai precisar de uma campanha impecável nas últimas sete rodadas se quiser alcançar a “pontuação mágica” para subir à Série A, que é de 63 pontos, segundo a média dos últimos anos da competição. No entanto, com a imprevisibilidade do futebol, já houve time que subiu com 60, e equipe que ficou de fora com 71. Portanto, se for para ficar, pelo menos, na média, o time maranhense vai precisar de seis vitórias, em sete jogos.

Com 45 pontos, o Sampaio Corrêa tem que alcançar mais 18 pontos (seis vitórias) para chegar aos preciosos 63 pontos, para então, dependendo da campanha dos concorrentes, lembrando que neste momento existem quatro times que separam o Tricolor do G-4, saber se o acesso virá ou não. Em sua melhor campanha na Série B nos últimos cinco anos, justamente com o técnico Léo Condé, atual treinador da equipe, a Bolívia Querida terminou a competição na oitava posição, com 58 pontos, em 2015. Um aproveitamento de 49,5%, somando 14 vitórias, 13 empates e 10 derrotas.

Nesta Série B de 2020, apenas a Chapecoense, que é líder do certame, alcançou os 62 pontos, na última rodada, ao bater o Paraná. E, segundo levantamento do site Sr. Goool, para alcançar, pelo menos a quarta colocação ao final da disputa, desde 2006, a média de pontuação é de 63 pontos. Segundo esse levantamento, em 2009, a Portuguesa ficou sem o acesso mesmo tendo 62 pontos. O G-4 foi fechado com 65 pontos. No ano seguinte, a Lusa voltou a “bater na trave”. Os paulistas, com 62 pontos, ficaram a um da zona do acesso. O Londrina, em 2017, repetiu a dose com 62 pontos. O G4, no entanto, foi encerrado com 64.

A reportagem do Sr. Goool aponta, também, que em 2015 o Náutico, após 38 rodadas, comemorou 63 pontos, mas o acesso foi confirmado a partir dos 65. Pior foi a situação vista na temporada de 2012. O São Caetano conseguiu incríveis 71 pontos, mas acabou no 5º lugar. O G-4 também teve 71 pontos, mas os paulistas perderam nos critérios de desempate.
Portanto, resta ao Sampaio Corrêa fazer sua parte, já diante do CSA, seu próximo compromisso, que será neste sábado, 2, às 16h30, no Estádio Rei Pelé, em Maceió-AL.

Preparação e recuperação

O elenco do Sampaio Corrêa se reapresentou na segunda-feira, 28, após folga, e iniciou preparação para o duelo com CSA.
Enquanto os jogadores trabalham duro em campo, o departamento médico do clube trabalha para colocar à disposição do técnico Léo Condé alguns atletas que estão se recuperando de lesões, como é o caso do lateral Marlon, zagueiro Boaventura, o volante André Luiz e o atacante Pimentinha. O volante Ferreira ainda precisa de um tempo a mais para voltar aos treinos e está vetado da partida de sábado.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte