Geral | NATAL DIGITAL

Como não cair em golpes nas compras de final do ano

Pandemia modificou a forma em que as pessoas consomem os produtos; especialista em Direito do Consumidor esclarece as principais dúvidas sobre o assunto e lista os cuidados que os consumidores devem tomar nas compras natalinas
14/12/2020 às 17h30
Como não cair em golpes nas compras de final do anoÉ preciso ficar atento nas compras online (Divulgação)

São Paulo - As festas de final de ano estão batendo na porta e, junto com elas, surge a vontade das pessoas de realizarem as compras, com a chegada do décimo terceiro. Mas assim como a pandemia mudou vários aspectos das rotinas das pessoas, também alterou a forma em que as pessoas passaram a consumir e a expectativa é que as vendas online aumentem ainda mais nesse período.

Para se ter uma ideia, de acordo com relatório “2020 Salesforce Holiday Insights and Predictions” divulgado, a especialista em Customer Relationship Management, Caila Schwartz, espera, em um âmbito global, que o comércio online cresça em 30% durante o Natal, alcançando um número de 940 milhões de dólares. “Tudo será diferente, até porque os estabelecimentos não vão poder receber filas ou mesmo aglomerações. Os comerciantes que não respeitarem as regras de distanciamentos, este ano, poderão levar multas ou até mesmo interdição e cassação de alvará de funcionamento”, explica Plauto Holtz, advogado, especialista em Direito do Consumidor e sócio-fundador da Holtz e Associados.

Ele ainda complementa que, com o cenário de compras digitais, é preciso que as pessoas fiquem atentas a possíveis golpes cibernéticos. Abaixo, o especialista listas os pontos importantes sobre o assunto:

Muitas pessoas vão optar por comprar pela internet. Quais são os principais cuidados que devem ter?

Sem dúvidas a maioria dos consumidores irão optar por compras online - isso já acontecia em outras datas como essas, mas agora a tendência é aumentar ainda mais. Por isso, é preciso tomar cuidado com golpes. “Não acesse links de sites desconhecidos. Eles podem ter mecanismos que roubam dados e senhas. Além disso, minha dica é dar preferência aos sites que tenham aquele famoso cadeado do lado esquerdo ao endereço eletrônico”, aconselha o especialista.

Além da pandemia também temos a LGPD, qual o impacto da lei agora no Natal? Tanto nas compras online como presenciais?

A Lei de Proteção de Dados (LGPD) visa, entre outras medidas de segurança, evitar o uso abusivo e ilícito de cruzamento de dados, para oferecer e ofertar produtos relacionados às pesquisas do consumidor, sem que ele tenha autorizado. “Como é uma lei nova, ainda muitas empresas estão desrespeitando”, explica Plauto.

Quais os principais cuidados que os consumidores devem tomar ao fazer compras no Natal?

A dica nesse item é comprar com antecedência. “Deixar para última hora pode fazer com que o consumidor queira ir aos shoppings e comércios presenciais, aumentando o contágio com a covid-19. Por isso, indico se planejar, comprar com a razão, e não com o coração, pois a conta pode ser grande. Tenha juízo no bolso”, comenta.

Caso o consumidor caia em um golpe online, como ele pode agir?

Se não tomar cuidado com os pontos citados acima, o consumidor pode cair em um golpe, ainda mais no final do ano que existem várias pessoas se aproveitando do momento. “Dificilmente a pessoa terá acesso ao dinheiro perdido. Mas é necessário fazer um boletim eletrônico de ocorrência policial” finaliza Plauto Holtz.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte