Cidades | Já é Natal

Covid-19 leva os consumidores a anteciparem compras para o Natal

Pandemia alterou a normalidade em muitos pontos, e o Natal não ficou de fora; decorações para o período são compradas com antecedência para evitar aglomerações e contaminação pelo coronavírus
Kethlen Mata/ O Estado19/11/2020
Covid-19 leva os consumidores a anteciparem compras para o NatalConsumidores já começaram a ir às compras para o Natal (Paulo Soares / O Estado)

SÃO LUÍS – O mês de novembro ainda nem acabou e já é possível ver guirlandas, pisca-piscas, e muito verde e vermelho. Esses são os sinais de que o Natal chegou na cidade. As lojas estão tirando as decorações do armário, e os shoppings já divulgam seus enfeites natalinos. Quem também se adiantou foram os clientes que, por causa da Covid-19, saíram para as compras do período com antecedência, buscando evitar filas e aglomerações. No maior centro comercial de São Luís, a Rua Grande, o movimento de pessoas à procura decorações é grande e vendedores ambulantes já estão animados com as vendas.

A tradição do Natal é forte no Brasil, principalmente, por ser uma festa familiar. E mesmo com a pandemia do novo coronavírus, as pessoas querem garantir suas decorações. O Estado conversou com algumas consumidoras – que já estavam enchendo o carrinho de acessórios natalinos.

A médica, Christinne Martins, explicou que geralmente realiza suas compras natalinas com antecedência. “Até para evitar aglomeração, principalmente, numa época como esta. Eu sempre gosto de decorar a casa e Natal é uma festa tão bonita, tão família. Acho que vale a pena a gente investir, apesar das dificuldades”, frisou, enquanto conferia os produtos no carrinho. Para ela, o ano foi bem complicado financeiramente, já que faz parte do grupo de risco e deixou de trabalhar por alguns meses, porém, admite que deixou um reserva para decorar a casa no Natal.

Christinne Martins conta que a festa vai ser um pouco diferente, já que o mundo passa por uma crise sanitária sem precedentes. “Vai ser mais distante. Não vamos ter aqueles jantares tão festivos com a família toda, será algo mais íntimo”, ressaltou.

A bibliotecária, Wanda França, também parou para conversar. Segundo ela, é importante antecipar, pois assim a escolha dos produtos é feita com mais calma. “E também por causa da Covid, para evitar o aglomerado de pessoas”, comentou. O planejamento é crucial para a bibliotecária. “Assim eu acredito que é bem mais tranquilo e de forma mais segura para celebrar o natal”, completou.

Wanda França explicou que o Natal não vai mudar tanto porque a comemoração é sempre em família e são poucas pessoas. “Só os irmãos e os sobrinhos, então vai continuar sendo assim. Mas, se as coisas complicarem, aí a gente vai estudar outra forma de celebrar o Natal”, destacou.

Comércio
Na Rua Grande, centro da cidade, a movimentação de vendedores ambulantes comercializando artigos natalinos é notável. De acordo com um camelô, que não quis se identificar, a expectativa é de boas vendas, porém o estoque está reduzido e sem previsão de reposição. Ele vende pisca-piscas de variados modelos e preços, que, segundo ele, cabe em todos os bolsos. Ele não acha que o Natal vai mudar muito. “É uma festa em família”, disse.

A vendedora autônoma, Kerin Hapulck, começou com a venda de decorações e enfeites natalinos na segunda-feira, 16. Há muito tempo trabalhando na área, ela afirma que mesmo com a Covid-19, suas vendas estão satisfatórias para um fim de novembro.

Ela explicou que seus produtos têm um diferencial este ano. “Eu só trabalho com lâmpadas de LED – que é uma lâmpada econômica e com efeito neon. E com isso o pessoal está procurando bastante e este ano os clientes têm procurado modelos novos”, afirmou a vendedora.

Decoração
Um shopping, localizado no bairro Turu, inaugurou sua decoração e está divulgando a programação natalina de 2020. Um novo espaço, intitulado “Floresta Encantada – Uma aventura de natal”, já está disponível para visitação, e para muitas fotos. A Praça central de eventos do shopping, investiu em uma árvore e 12 metros. A atração é gratuita e destinada a toda a família.

A “Floresta Encantada” conta com um circuito que incentiva os visitantes a conhecerem todos os cenários da decoração. Para tornar o passeio mais divertido, cada cliente recebe um passaporte e responde um quiz com curiosidades sobre os animais em cada espaço para no final ganhar um brinde especial. A aventura acontece durante os finais de semana, até o dia 26 dezembro, das 16h às 21h.

A tradicional conversa com o Papai Noel será diferente este ano. Para manter o distanciamento, o Papai Noel vai falar com os pequenos, através do “Noel Fone”, um espaço onde as crianças terão a experiência de ligar e contar o presente que querem ganhar. A ação acontece a partir do dia 1 até 24 de dezembro, de segunda a sexta das 16h às 21h, e aos sábados e domingos das 14h às 20h.

SAIBA MAIS

Decoração no Centro Histórico

A Secretaria de Estado da Cultura (Secma) vai instalar decoração natalina em três pontos de São Luís que são: o prédio reformado da REFFSA, a Praça Dom Pedro II (ambos no Centro Histórico) e o Parque Estadual do Sítio do Rangedor (Calhau). A decoração será temática, com árvore de Natal, decoração voltada para o público infantil, entre outros artigos decorativos, que serão expostos ao público a partir do último final de semana do mês de novembro.

Além disso, serão exibidas projeções em vídeo mapping durante o período natalino na REFFSA e no Palácio dos Leões.

Réveillon

Devido à pandemia de Covid-19, eventos que geram grandes aglomerações foram cancelados para o Réveillon 2021, mas a Secma vai realizar a tradicional queima de fogos na virada do ano em 22 pontos estrategicamente distribuídos por São Luís.

Cuidados com os pisca-piscas

Durante o período natalino, uma coisa não pode faltar: o pisca-pisca. O artigo está disponível para todos os gostos e bolsos, no entanto, algumas pessoas acabam se empolgando e exagerando na quantidade. O engenheiro elétrico, José de Ribamar Castro, deu dicas para evitar problemas com a fiação elétrica.

Segundo ele, a prática se torna perigosa se a instalação elétrica não for realizada dentro dos parâmetros de segurança. Por isso, sempre é bom procurar um profissional. “Deve-se evitar o usar de extensões ou benjamins, além de sempre antes de colocar qualquer carga elétrica no circuito, verificar se o mesmo suporta o aumento da carga”, explicou.

A atenção também deve ser redobrada para instalações elétricas externas, ainda mais agora, que o período chuvoso se aproxima. “A dica é utilizar materiais próprios para áreas externas e evitar ao máximo realizar emendas nos cabos, e caso necessário reforçar a proteção nesse local. E nos circuitos externos utilizar o elemento de proteção DR (Disjuntor residual)”, finalizou o engenheiro.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte