Política | O custo da democracia

Candidatos a prefeito em São Luís gastaram R$ 7 milhões nas eleições até agora

Saiba quanto foi arrecadado, justificado e qual o "custo do voto" de cada um dos 10 candidatos no primeiro turno
José Linhares Jr17/11/2020 às 11h02
Candidatos a prefeito em São Luís gastaram R$ 7 milhões nas eleições até agoraApenas candidatos a prefeito nas eleições de São Luís arrecadaram mais de R$ 9 milhões em recursos. (Reprodução)

SÃO LUÍS - Dados do sistema de prestação de contas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que os 10 candidatos que disputaram as eleições em São Luís arrecadaram R$ 9.168.998,25. Até agora foram declarados R$ 7.090.649,38 em gastos. Por conta dos prazos da Justiça Eleitoral que ainda permitem correções nos gatos, muito provavelmente os custos das eleições devem se aproximar ainda mais dos valores das arrecadações. Em alguns casos, como do candidato Rubens Pereira Jr (PCdoB) na manhã desta terça-feira (17) os custos superavam a arrecadação no sistema.

Veja quanto foi arrecadado, justificado e qual o “custo do voto” de cada candidato, tomando como base o valor arrecadado declarado à Justiça Eleitoral.

OS MAIS RICOS

Apesar de ter terminado a eleição em quarto lugar com 22.024 em uma campanha considerada humilde, Bira do Pindaré (PSB) teve proporcionalmente uma das eleições mais caras da história de São Luís. O deputado federal arrecadou R$1.454.040,62 e já declarou gastos de R$1.443.467,50. Os recursos da campanha foram divididos em 28 doadores. Mesmo assim, 98.14% dos recursos da campanha de Bira foram oriundos de recursos públicos repassados a ele pelo PSB. Dividindo o número de votos pelo total arrecadado pela campanha, Bira do Pindaré foi o candidato que teve o maior custo por voto. Bira precisou desembolsar R$ 66,02 para cada um dos 22.024 votos que conseguiu.

O deputado estadual Neto Evangelista (Democratas) foi o candidato que conseguiu a maior arrecadação da campanha. Quatro doadores foram responsáveis por uma arrecadação de R$3.636.000,00. Desse total, 71,95% foram doados pela direção nacional do partido de Evangelista. Até a manhã desta terça-feira (17), o candidato justificou R$1.194.957,06 dos seus gastos. Neto conseguiu 83.138 votos. Dessa forma, o “custo do voto” de Evangelista, tomando por base as doações, foi de R$ 43,73.

SEM RECURSOS PÚBLICOS

Apenas dois candidatos não receberam recursos públicos para suas campanhas e arcaram quase que na totalidade pelos seus gastos. Yglésio Moyses arrecadou R$374.500,00. Desse montante, 77,57% dos recursos saíram do bolso dele. Em números absolutos Yglésio foi quem mais investiu na própria campanha, atingindo gastos de R$290.500,00. Ao fim da eleição Yglésio obteve 9.816 votos, o que representou um custo R$ 38,15 por cada voto.

O candidato do PRTB, Sílvio Antônio, teve a campanha mais enxuta das eleições em São Luís. Cada um dos seus 16.070 votos custou a bagatela de R$ 2,25. Silvio Antonio arrecadou R$36.305,00, sendo que 82,63% destes recursos saíram do próprio bolso do candidato. Assim como Yglésio, ele não recebeu recursos partidários.

OS DOIS VANCEDORES

Campeões de votos no primeiro turno, Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Jr (Republicanos) arrecadaram R$1.500.000,00 e R$2.129.800,00 respectivamente.

Braide recebeu 80% de seus recursos do partido e até agora prestou contas de R$1.046.450,40. Primeiro colocado no primeiro turno com 193.578 votos, cada voto de Braide custou R$ 7,74

Já Duarte Jr arrecadou R$2.129.800,00 e justificou R$1.585.572,71 até agora. O Republicanos responde por 61.98% dos recursos do candidato. O Partido Liberal, presidido pelo deputado federal Josimar de Maranhãozinho, responde por mais 37,66% dos recursos. Os 113.430 votos de Duarte, tomando por base as doações, saíram a um custo R$ 18,77.

OS DEMAIS

Hertz Dias (PSTU) foi o único dos candidatos que adquiriu recursos por plataformas de financiamento coletivo. O candidato arrecadou R$25.760,00. Sendo que 94,91% foram oriundos do PSTU. Com 2.173 votos, Hertz gastou R$ 11,85 por voto.

Rubens Jr do PCdoB teve o maior número de doadores em sua campanha. Foram 33 ao todo. Até amanhã desta terça a prestação de contas do candidato apresentava uma incoerência. Foram arrecadados R$1.225.414,54, mas os gastos da campanha do comunista eram de R$ 1.384.890,60. Rubens terminou a eleição com 54155 votos e o custo de cada um destes votos foi de R$ 22,62.

Jeisael Marx (REDE) e Franklin Douglas (PSOL) tiveram votações muito diferentes. Enquanto Marx alcançou 14.144 ficando em sétimo lugar, Franklin teve 3.502 votos e terminou em penúltimo. O candidato da REDE arrecadou R$175.625,95, já o psolista conseguiu R$ 147.857,14. O curso do voto de Jeisael foi de R$ 12,41. Franklin Douglas está entre os candidatos que teve que desembolsar mais por cada voto, chegando a um custo de R$ 42,22 por voto.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte