Geral | Limpeza

Novos hábitos de higiene são incorporados na rotina dos brasileiros

Preocupação com a saúde e com doenças invisíveis leva a população a ter mais cuidado com a limpeza
16/11/2020 às 16h30
Novos hábitos de higiene são incorporados na rotina dos brasileirosA higienização das mãos com álcool em gel se tornou hábito entre os brasileiros (Divulgação)

São Paulo - Lavar as mãos com frequência, higienizar frutas e legumes e o distanciamento social foram algumas mudanças que o surto de coronavírus implantou no cotidiano. De acordo com dados da pesquisa realizada pela Qualibest 66% dos brasileiros mudaram seus hábitos de higiene desde os primeiros indícios do coronavírus no país. Para 86% dos entrevistados o álcool em gel virou item indispensável na rotina. Em relação aos cuidados com a casa e outros ambientes, também houve modificações aos costumes. O álcool é o produto preferido por 60% das pessoas para desinfetar a casa em seguida está a água sanitária com 33%.

O estudo realizado pelo grupo Abril e MindMiners comprovou que 75% dos participantes adquiriram o hábito de usar álcool em gel e lavar as mãos mais vezes ao dia, como forma de prevenção. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) higienizar as mãos corretamente e com regularidade e reduz em 40% a infecção, por microrganismos que causam doenças como doenças como gripes, resfriados, conjuntivites e viroses.

"O ato de lavar as mãos sempre que se expõe a qualquer o utensílio que seja de uso público é muito importante. A atitude de higienizar as mãos foi comprovado que é eficaz para evitar as doenças de transmissão oral e respiratória por meio do contato das mão com o rosto", explica, o epidemiologista do Grupo Pardini, José Geraldo Leite Ribeiro.

Outras mudanças aconteceram por causa da interação social. Seis em cada 10 brasileiros não estão participando de encontros presenciais e mantêm distância dos outros enquanto conversam nos momentos que se faz necessário o contato.

"Os vírus e bactérias estão entre nós há milhares de anos e eles desenvolveram uma enorme capacidade de se manterem no ambiente. As doenças são transmitidas pela via respiratória, portanto é muito importe que a gente sempre esteja vacinado contra aquelas doenças que existem vacinas e que nós tenhamos consciência de que podemos infectar as pessoas que vivem conosco", afirma Ribeiro.

A intensificação dos cuidados com a higiene desencadearam a procura de outras formas de conservar ambientes e objetos esterilizados por mais tempo. E partir desta necessidade surgiram no mercado produtos que realizam a assepsia de forma profunda e intensa. Ciência e tecnologia são a base desses dispositivos que facilitam o processo de limpeza.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte